Atendimento da demanda e diminuição do desperdício: a importância das embalagens para o mercado de hortifruti

A fim de atender às exigências do setor de hortifruti, as empresas precisam trabalhar para que as embalagens sejam desenvolvidas sob medida para o tamanho exato e requisitos de desempenho de cada produto

Por Manuel Alcalá, CEO da Smurfit Kappa no Brasil

Os últimos meses causaram mudanças na rotina de todos – desde trabalho, transporte e até mesmo hábitos que antes não eram tão valorizados. Um bom exemplo dessas mudanças foi o cuidado com a alimentação das pessoas, que começaram a priorizar alternativas mais saudáveis. Por isso, o período favoreceu um aumento na demanda por alimentos frescos e ricos em nutrientes, tão importantes para a segurança alimentar da sociedade.

Neste quesito o Brasil leva uma vantagem: temos uma biodiversidade muito rica de frutas, verduras, legumes e hortaliças, o que contribui para que sejamos o terceiro maior produtor mundial de frutas e faz com que a produção desses alimentos no País continue superior a 40 milhões de toneladas por ano, segundo o Anuário da Fruticultura, da Editora Gazeta.  Ainda, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, o consumo de alimentos frescos tem crescido ao longo do ano, estimulado pelas ações promovidas por empresas do setor.

Por outro lado, a estabilidade do setor de hortifruti é impactada pelo crescente volume de alimentos desperdiçados anualmente em todo o mundo, e essa perda se deve a fatores como à má conservação e à falta de embalagens adequadas para o transporte e manuseio dessas frutas, verduras e legumes. De acordo com o Índice de Desperdício de Alimentos de 2021, realizado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), as sobras alimentares ocorrem majoritariamente nos pontos de venda, restaurantes e residências. Em nível global per capita, 121 quilos de alimentos são desperdiçados por consumidores a cada ano.

Nesse cenário, a forma como os produtos são embalados ganha protagonismo por ser um fator capaz de garantir maior segurança em todas as etapas da cadeia de produção – desde a colheita, passando pelo transporte dos produtos para os vendedores e, em seguida, para a mesa dos consumidores.

Com a crescente demanda por opções mais sustentáveis para embalagens de alimentos, movida também pelo aumento do delivery, empresas de diversos segmentos encontraram nas embalagens à base de papel e papelão ondulado a solução para proteger o produto e o meio ambiente.

E para que seja possível atender às exigências físicas da cadeia de suprimentos e garantir que alimentos como frutas, verduras e hortaliças cheguem em ótimas condições até o consumidor final, essas embalagens são desenvolvidas com muita tecnologia pela indústria de papelão.

As caixas de papelão são uma tendência global para o mercado de hortifruti, não apenas por serem sustentáveis, mas também pela relação custo-benefício das soluções, que são especialmente desenvolvidas pensando no sistema logístico, nas melhores maneiras de proteger os produtos e na redução das perdas.

É preciso que empresas que atuem neste setor trabalhem com base na necessidade dos produtores, embaladores e varejistas. Que utilizem essa experiência para ajudar a moldar o futuro dos clientes por meio de soluções que aumentam as vendas, otimizam a cadeia de abastecimento, ajudam a evitar o desperdício e tornam – de forma geral – os negócios mais sustentáveis. É o que fazemos na Smurfit Kappa, um dos principais players do setor de embalagens para produtos frescos, empresa que lidero no Brasil.

A fim de atender às exigências do setor de hortifruti, as empresas precisam trabalhar para que as embalagens sejam desenvolvidas sob medida para o tamanho exato e requisitos de desempenho de cada produto. Pensando nisso, a SK promove, por exemplo, opções de embalagens com orifícios de ventilação, para que a fruta possa respirar, travas para garantir a maior segurança no empilhamento e paletização, assim como bandejas para garantir uma melhor exposição no ponto de venda. A companhia compreende que as empresas precisam diferenciar seus produtos em um ambiente competitivo de varejo e, por isso, garante a opção de personalização das embalagens.

Todo esse cenário também chama a atenção dos produtores para a questão ambiental e faz com que eles venham dando cada vez mais importância para as embalagens de papelão desenhadas exclusivamente para o transporte de alimentos, pois, além de garantirem mais segurança aos produtos, ajudam a reduzir os níveis de desperdício e podem ser recicladas com uma maior facilidade, contribuindo para o meio ambiente.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados