Mondelēz evolui na agenda ESG para bater metas em 2025

Relatório da multinacional aponta evolução contínua da companhia que bateu ou excedeu os compromissos 2020

A Mondelēz International, dona de marcas Bis, Lacta, Oreo, Tang, Club Social, Halls e Trident, publicou o relatório Snacking Made Right, que reforça o progresso da companhia em suas metas de ESG ao longo de 2020. O conteúdo demonstra os passos importantes da companhia em escala global para promover mudanças positivas para os consumidores e o meio ambiente.

“Fazer o snack da maneira certa é o que nos guia na Mondelēz International. Temos um compromisso com a sociedade e queremos criar um impacto positivo com o nosso negócio. Seguimos focados em construir uma empresa de snacks sustentável, minimizando nosso impacto no meio ambiente e ao mesmo tempo sendo uma organização mais diversa, justa, inclusiva e transparente”, conta Maria Claudia Souza, Diretora de Assuntos Corporativos e Governamentais da Mondelēz Brasil.

Uma das principais metas da companhia é ter 100% do volume de cacau para marcas de chocolate provenientes de fontes sustentáveis através do Cocoa Life, programa de sustentabilidade do cacau, até 2025. Ao final de 2020 a Mondelēz International alcançou 68% do volume total obtido pelo programa.

No Brasil, o Cocoa Life já investiu cerca de R$ 6 milhões e conta com o apoio da marca centenária Lacta, com os produtos Intense. Em 2020 o programa excedeu a produção de cacau necessária para atender toda a linha. A meta é chegar a 100% do chocolate produzido no Brasil através do programa até 2024. O Cocoa Life conta com 700 produtores registrados no país, que graças aos incentivos do programa conseguiram mais de R$ 1 milhão em crédito no ano passado, através do PRONAF Floresta, para impulsionar os seus negócios.

Companhia atingiu ou excedeu seus compromissos 2020, como a redução de +20% de emissões de CO² na operação, excedendo os 15% planejados, e caminha rumo às metas ambiciosas para 2025

Até 2022, o Cocoa Life no Brasil investirá R$ 10 milhões em projetos para transformar 1000 hectares de áreas de pastagem em agrofloresta de cacau. O compromisso prevê a reestruturação de 750 hectares de fazendas de cacau com novo manejo agroecológico do solo e a restauração de 500 hectares de mata ciliar. O projeto no Brasil visa ainda ampliar em 50% o número de produtores, famílias e trabalhadores indiretos beneficiados pelo programa.

Em 2020, a empresa progrediu significativamente em relação às suas metas de sustentabilidade e bem-estar e excedeu algumas delas gerando impactos positivos nos negócios.

Na área ambiental, os impactos contabilizados foram a redução de mais de 20% de CO² em toda a operação, excedendo a meta de 15%. No quesito uso de água, houve redução superior a 30%, superando a meta de 10%. A equipe comemora também a diminuição de mais de 30% na geração de resíduos das operações fabris, batendo a marca de 20%.

A agenda ESG prevê a inovação em embalagens, o suporte à comunidade onde só em 2020 doou U$ 30 milhões para ajuda ao combate a Covid-19.  e a aceleração da diversidade, igualdade e inclusão entre seus colaboradores.

No Brasil, a companhia criou um Comitê de Diversidade para promover o avanço em representatividade e pertencimento em todas as áreas em que atua no país. Como metas, a equidade salarial; uma roda de conversa com colaboradores e liderança; licença maternidade e paternidade estendida, incluindo casais homoafetivos; banco de talentos exclusivo para mulheres, étnico-Racial, PCDs e LGBTQIA+. Atualmente, 40% da população MDLZ é mulher, 45% dos cargos de liderança são ocupados por elas.

O relatório Snacking Made Right também reafirma as metas ambientais da Mondelēz International para 2025, incluindo a redução de 10% nas emissões de CO² de ponta a ponta. Todas as embalagens serão recicláveis e a organização busca diminuir em 25% o uso de plástico rígido virgem.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados