Pontos de entrega de eletrônicos e pilhas avança no Brasil

Bases de coletas da Green Eletron chegaram a 11 novos estados. Objetivo é atuar em todo o País

De acordo com o relatório divulgado pela Plataforma para Aceleração da Economia Circular (Pace) e pela Coalizão das Nações Unidas sobre Resíduos Eletrônicos, é estimado que até 2050, o mundo produzirá em torno de 120 milhões de toneladas de lixo eletrônico, termo popularmente utilizado para se referir a qualquer equipamento elétrico ou eletrônico, pilhas ou baterias que não têm mais utilidade. Quando é alcançada o fim da vida útil destes produtos, eles são considerados lixo eletrônico.

Atualmente, o Brasil lidera a lista na América Latina, gerando, aproximadamente, 2,1 milhões de toneladas por ano e apenas 3% desses resíduos são descartados de maneira correta. Se depender da Green Eletron, gestora de logística reversa de eletroeletrônicos e pilhas sem fins lucrativos, cada vez mais brasileiros poderão descartar seus equipamentos adequadamente, possibilitando sua reciclagem e evitando prejuízos ao meio ambiente.

Desde o início de suas atividades, em 2017, a Green Eletron instalou mais de 620 Pontos de Entrega Voluntária de eletroeletrônicos e outros 6 mil coletores exclusivos de pilhas no Brasil. O Green Recicla Pilha, fundado em 2010, expandiu fortemente e triplicou a quantidade de coletores no país todo: passou de 2 mil, em 2019, para 6 mil, em 2020, atendendo a uma população cada vez maior.

Em dezembro de 2020, a gestora expandiu sua operação de eletroeletrônicos para novos 11 estados com o intuito de atender melhor a população brasileira. Ao todo, agora, os coletores estão presentes no Distrito Federal e 12 estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Ao todo, 189 cidades já contam com Pontos de Entrega Voluntária (PEVs), atendendo 15 milhões de pessoas.

Os eletroeletrônicos possuem uma característica específica que exige um processo de descarte e reciclagem diferente dos demais materiais. Eles são feitos de dezenas de matérias-primas, como vidro, plástico, aço, ferro, cobre e até mesmo pequenas quantidades de ouro e prata. Para se ter uma ideia, mais de 60 elementos podem ser usados na produção de apenas um aparelho eletrônico. É possível fazer o reaproveitamento de todas, desde que os itens sejam descartados pelo consumidor em coletores apropriados.

“O lixo eletrônico descartado incorretamente pode causar impactos negativos para o meio ambiente e consequentemente para a saúde humana. Trabalhamos por um mundo com menos geração de resíduos e menos extração de matéria-prima da natureza. Para isso disponibilizamos PEVs em lojas do varejo, shopping centers, instituições empresariais, entidades de ensino, e contamos principalmente com a participação dos consumidores para descartar seus produtos para darmos um destino ambientalmente adequado aos mesmos”, diz Ademir Brescansin, gerente executivo da Green Eletron.

Em 2021, o objetivo da gestora é ampliar ainda mais a sua presença, com PEVs em todos os estados do país. “Dessa forma, além de levar uma alternativa para as pessoas que querem fazer o descarte correto, vamos aumentar a coleta e evitar que uma quantidade maior de eletrônicos acabe em aterros sanitários ou lixões, enviando-os para a reciclagem. Essa é a melhor maneira de reutilizar os componentes e evitar a extração de matérias-primas virgens da natureza”, finaliza Brescansin.

Posts Relacionados

Fique por dentro de nossas novidades