Presidente do Congresso Nacional e ministros marcam presença na abertura da Convenção ABRAS

Maior encontro de lideranças supermercadistas do Brasil começou nesta segunda-feira, em Campinas (SP), trazendo como tema central o conceito de Coopetição. Confira o que foi destaque no discurso de cada autoridade durante a solenidade de abertura do evento 

A Convenção ABRAS 2021 começou nesta segunda-feira, dia 20, com a presença de mais de 400 líderes supermercadistas de todo o País. Em sua abertura, contou também com as participações de importantes autoridades, como o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, do ministro da Cidadania, João Roma, do ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, do depurado federal e presidente da Frente Parlamentar de Comércio e Serviços, Efraim Filho, e do vice-prefeito de Campinas, Wanderlei de Almeida.  

Em seu discurso inicial, o presidente da Associação Brasileira de Supermercados, João Galassi, transmitiu em suas palavras o valor de sua família em sua trajetória e também dedicou grande espaço para falar da atuação do setor supermercadista durante a pandemia da covid-19.  

“Sob a liderança da ABRAS, implementamos rigorosos protocolos de segurança sanitária, além daqueles já impostos naturalmente à nossa atividade, para garantir total segurança aos colaboradores e aos clientes. Fizemos de tudo para preservar os colaboradores com maior risco de contaminação e, além de mantermos o efetivo de profissionais, ainda realizamos um grande volume de contratações para manter o nível de serviço ao atendimento da população. Tudo isso somado a grandes esforços junto à cadeia nacional de abastecimento para manter a sociedade abastecida”, disse Galassi.  

“Outro ponto é que passamos a realizar reuniões semanais com lideranças supermercadistas de todo o País para o monitoramento e aperfeiçoamento dos protocolos. Ou seja, um setor naturalmente unido, ficou ainda mais unido e fortalecido. Todo este pacote de ações está vinculado à campanha Superessencial, uma iniciativa da ABRAS com o objetivo de ressaltar e defender a importância da essencialidade do setor supermercadista e de, justamente, reforçar o compromisso dos supermercados em relação à adoção e manutenção de rigorosos protocolos sanitários”, continuou o presidente da ABRAS.  

Além do foco operacional, Galassi também lembrou de toda a mobilização que o setor está realizando para auxiliar famílias em situação de vulnerabilidade. “Além de manter nossas lojas operando e abertas, criamos a campanha Doação Superessencial, em parceria com as 27 associações estaduais de supermercados, que consiste em uma das maiores mobilizações já protagonizadas pelo setor supermercadista”, lembrou o supermercadista. “Graças à participação de vocês, conseguimos arrecadar uma quantia surpreendente, que já permitiu levar um pouco de alívio, esperança e acolhimento a dezenas de milhares de famílias”, declarou. Até o início da Convenção ABRAS, a campanha já havia arrecadado mais de R$ 8 milhões.  

Na oportunidade, Galassi ainda compartilhou sua visão sobre o futuro do setor (que será detalhada na próxima edição da Revista SuperHiper) e também entrou às autoridades presentes um relatório contendo importantes pleitos do autosserviço nacional, com o objetivo de subsidiar os Poderes Executivo e Legislativo com informações de qualidade a respeito destas pautas.  

O que cada autoridade defendeu 

“A pandemia nos afetou muito, mas é preciso ter esperança e buscar o desenvolvimento econômico, juntamente com o desenvolvimento humano e social. Por isso, recebo com alegria os pleitos do setor e, por eles, trabalharemos com muita satisfação, porque sei que estarei colaborando com um setor muito importante para o País”, declarou o presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco. “Já estamos, por exemplo, atuando em relação à dosimetria das multas para que haja mais razoabilidade nessa pauta.”  

Na ocasião, Pacheco compartilhou sua visão a respeito de quatro conceitos, considerados por ele como essenciais para o atual momento do País. “O primeiro é união nacional, que não significa se aceitar tudo, pois a divergência sempre existirá em um regime democrático. O segundo é o respeito, especialmente na relação dos Poderes e das instituições. E respeito também à classe produtiva. Em terceiro ponto, destaco a responsabilidade, em especial a responsabilidade fiscal, para que tenhamos um País com o ´tamanho certo´. E o quarto ponto é o otimismo. Não podemos nos render ao negacionismo e ao negativismo. É preciso que estejamos voltados ao desenvolvimento do País.”   

“Temos que dar as mãos para que possamos avançar em demandas urgentes, como é o caso do desperdício de alimentos. Hoje, 30% do que é produzido é perdido. Isso em um País onde há muita gente sem garantia de segurança alimentar”, complementou o ministro da Cidadania, João Roma. “O conceito de coopetição tem tudo a ver com o tempo em que vivemos.” 

Um dos pontos destacados pelo ministro foi o projeto do governo federal relacionado ao Auxílio Brasil. “Os programas de transferência de renda sempre foram muito bem-vindos e, agora, eles precisam transformar mais realidades. O Ministério da Cidadania tem a missão de não deixar ninguém para trás.” 

Em consonância ao discurso de Roma, o ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, exaltou o trabalho do governo na pandemia, buscando o equilíbrio entre o controle da proliferação da doença e a saúde econômica. Destacou, especialmente, o Auxílio Emergencial, que beneficiou 68 milhões de pessoas, os 1,8 milhão de empregos gerados entre janeiro e julho.  

Também presente na solenidade de abertura, o deputado federal Efraim Filho destacou que a Frente Parlamentar de Comércio e Serviços, da qual é presidente, é a voz dos supermercados dentro do Parlamento. “Somo a voz de um setor que gera emprego, renda e riquezas para o País. E aproveito para defender que setor supermercadista, diante da sua relevância para a economia e para o abastecimento dos lares, precisa estar envolvido nas grandes decisões do País. Precisamos do setor colaborando as agendas mais importantes do Brasil. Da nossa parte, seguimos trabalhando para acabar com a ideia de que empreendedor é vilão. Queremos que quem produza seja reconhecido.”  

E representando o prefeito de Campinas, Dário Saad, o vice-presidente do município Wanderley de Almeida expressou sua satisfação por Campinas estar sediando um evento desta proporção e relevância. Aproveitou para destacar, também, que a prefeitura lançou, recentemente, um plano de desenvolvimento econômico com várias iniciativas que dialogam com as necessidades do setor.  

A Convenção ABRAS 2021 segue nesta terça-feira (21) e cobertura completa do evento será publicada na edição de outubro da Revista SuperHiper.  

Confira ao vivo a Convenção ABRAS pelo site convencao.abras.com.br.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados