Ruptura volta a subir nos supermercados brasileiros em abril

Retorno do auxílio emergencial impactou na demanda e vários segmentos de alimentos e bebidas apresentaram problemas de distribuição em todos os modelos de varejo

Depois de apresentar índices em queda por dois meses consecutivos, a ruptura – índice que mede a falta de produtos nos supermercados – voltou subir no Brasil e o mês de abril fechou com 11,03%. No ranking de produtos com maior ruptura estão as bebidas à base de soja, leite longa vida, ovos e até o rum e chocolates, conforme aponta estudo exclusivo desenvolvido pela Neogrid, empresa especializada na sincronização da cadeia de suprimentos.  Entre as razões para a alta está o aumento do consumo impactado pela volta do auxílio emergencial.

A ruptura vem oscilando no país. Após quatro meses em alta (de setembro de 2020 a janeiro deste ano), o índice havia recuado nos meses de fevereiro (11,45%) e março (10,68%), porém, tornou a subir em abril, chegando à casa dos 11,03%. De acordo com Robson Munhoz, CCSO (Chief Customer Success Officer) da Neogrid, o cenário se explica porque nos primeiros meses do ano houve uma retomada da produção de embalagens, principalmente os produtos que têm como matérias-primas o vidro e o alumínio. 

“Já essa alta na ruptura de abril vem pelo consumo mesmo. O programa de auxílio do governo fez com que as famílias voltassem aos supermercados. Apesar de pequena em relação ao ano passado, toda a ajuda financeira nesse momento é bem-vinda. Porém, com menos dinheiro, o consumidor passa a comprar produtos de menor valor, mas que cumprem o mesmo propósito. Em resumo, ele começa a migrar para marcas mais baratas e o varejo não responde tão rapidamente assim a essa mudança de comportamento do consumidor, o que gera a falta de alguns produtos nas prateleiras”, explica Munhoz.

O executivo da Neogrid ainda chama atenção para outro ponto importante. Com a pandemia e o cenário econômico, algumas indústrias começam a apresentar problemas financeiros e isso afeta o ritmo de produção. 

Em abril, o ranking dos produtos que tiveram maior ruptura é liderado pelas bebidas à base de soja com 27,54%. Na sequência, a água saborizada com 27,45%. O leite longa vida ficou em terceiro lugar no ranking do índice de ruptura com 16,74%. Os ovos registraram ruptura de 16,20%. Os clientes tiveram dificuldade para encontrar proteína de soja que assinalou 15,02% de espaço nos estoques e prateleiras.

O ranking da Neogrid destaca também que chocolate, rum, algodão, leite de côco, mistura alcóolica ( bebidas alcóolicas prontas como caipirinha) e água de côco enfrentaram ruptura entre de 12 a 15%.

Posts Relacionados

Fique por dentro de nossas novidades