Supermercados agradecem a Bolsonaro e pedem limite ao Procon

Presidente da República esteve presente à abertura da Apas Show, evento que reúne milhares de pessoas de toda a cadeia, o primeiro após a pandemia

Em meio à escalada inflacionária que atinge os alimentos e corrói as margens do setor, o presidente da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), João Galassi, fez elogios e agradecimentos ao presidente Jair Bolsonaro em evento nesta segunda-feira (16).

“Os desafios são enormes, mas temos muito que agradecer. Em especial ao presidente Bolsonaro e ao Congresso Nacional pelo Auxílio Brasil, que dobrou a renda dos mais necessitados, pela redução dos impostos com a redução do IPI, e pela redução das taxas de importação dos itens da cesta básica. E pela recente liminar que iguala os preços dos impostos do diesel nos estados”, disse Galassi em seu discurso de abertura do Apas Show, evento da Associação Paulista de Supermercados.

Na mesma fala, Galassi reconheceu a crise econômica, inflação, alta dos juros e vulnerabilidade da população, mas ressalvou que o cenário é agravado por fenômenos mundiais, como pandemia e Guerra da Ucrânia.

O presidente da Abras também afirmou que é urgente limitar as multas aplicadas pelo Procon por infração ao consumidor. O assunto é discutido em projeto de lei do deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), que está em tramitação na Câmara.

Ainda pediu redução das taxas dos meios eletrônicos de pagamento, especialmente da Mastercard, e dos vouchers de alimentação.

Galassi encerrou seu discurso relatando que o Ministro da Economia, Paulo Guedes, lhe disse que os supermercados e a agricultura mantiveram o Brasil vivo durante a pandemia.

A fala do representante dos supermercados aconteceu no evento em que Bolsonaro ironizou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e disse que as eleições podem ser conturbadas.

Procurada pelo Painel S.A., a Apas não se pronunciou sobre as falas de Bolsonaro no evento do setor.

Em nota, a Abras afirma que “defende a democracia, apoia o desenvolvimento de uma sociedade mais justa, solidária e fraterna, por meio de instituições fortalecidas. Entende ainda que o processo democrático deve ser garantido a partir de eleições livres, limpas e transparentes, como garante a Constituição do país.”

Integra do Discurso de João Galassi na abertura do evento nesta segunda-feira, 16/05:

Cumprimento o Excelentíssimo Presidente Sr. Jair Messias Bolsonaro e em seu nome todas as autoridades presentes e todos os conselhos da ABRAS- Associação Brasileira de Supermercados

Cumprimento o Sr. Ronaldo Santos – Presidentes da APAS – Associação Paulista de Supermercados em seu nome, todas as nossas associações estaduais

O desempenho econômico do setor se dá conforme o índice de consumo nos lares, que apontou no 1º. trimestre de 2022 um crescimento de 2,59%, porém, em função da crise econômica, inflação, alta de juros, e vulnerabilidade social da população, agravados pela pandemia e pela guerra na Ucrânia, fenômenos mundiais, às nossas estreitas margens estão caindo, apesar do crescimento acumulado.

E para combater a continua degradação dos resultados do setor, sem impactar os preços ao consumidor, já tão prejudicado com a alta inflação, estamos trabalhando a seguinte agenda institucional e regulatória:

1) Reduzir as altas taxas dos meios eletrônicos de pagamento, especialmente as recentes altas de taxas anunciadas pela bandeira Matercard, pois inflacionam os preços ao consumidor;

2) Reduzir as altas taxas praticadas e ampliar a competição do mercado de Vouchers Alimentação,

3) A urgente necessidade de adoção de racionalidade da dosimetria das multas praticadas pelo PROCON, cujo PL do deputado Bertanholi já está em tramitação;

4) O combate à sonegação fiscal e comercialização informal de produtos importados por meio de plataformas digitais estrangeiras;

5) A redução do preço do óleo diesel que em abril impactou um aumento do frete em 4,74% e já acumulou 53,58% de aumento nos últimos 12 meses;

6) Isenção total dos impostos da cesta básica.

7) a tão desejada reforma tributária.

8) Os alimentos são essenciais, bem como os medicamentos, ambos itens de segurança social, e pleiteamos autorização para comercializar Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs).

Um setor que segundo o Ranking ABRAS 2022, emprega 3 milhões de trabalhadores, atende 28 milhões de consumidores dia, em 92 mil lojas, representando R$ 611 bilhões de faturamento, correspondente a 7,03% do PIB nacional, tem total legitimidade para registrar e lutar por suas pautas.

Os desafios são enormes, mas temos muito que agradecer.

Em especial ao presidente Bolsonaro e o Congresso Nacional pelo Auxílio Brasil, que dobrou a renda dos mais necessitados, pela redução dos impostos com a redução do IPI, e pela redução das taxas de importação dos itens da cesta básica. E pela recente liminar que iguala os preços dos impostos do Diesel nos estados.

Exmo. Sr. Presidente, a seu pedido referente a redução dos custos da cesta básica, já sugeri ao Ministro Paulo Guedes que convoque uma reunião entre todos os setores do agro à indústria, para estudarmos alternativas de redução dos custos dos itens da cesta básica

Gostaria de parabenizar a minha querida APAS – Associação Paulista de Supermercados, pela realização da 36ª. APAS SHOW.

Quero terminar com uma mensagem que recebi do Ministro Paulo Guedes, recentemente:  

“eu agradeço a vocês porque naquele período difícil, quando a gente não sabia o que iria acontecer, vocês mantiveram os mercados abertos! o brasil não explodiu por causa de vocês! parabenizo a agricultura e os supermercados… vocês mantiveram o brasil vivo!!!”

Fonte: Painel Folha SP

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados