Zaffari lança megaprojeto ambicioso

 Zaffari lança megaprojeto ambicioso

Grupo empresarial do “Esquilo” promete inaugurar o projeto em parceria com a Melnick em até 3 anos

Um megaempreendimento em um ponto mais do que tradicional de Porto Alegre é o que promete a parceria entre Zaffari e Melnick, duas das empresas que mais investem na cidade atualmente. Na frente da Praça da Encol, esquina das avenidas Nilópolis e Carazinho, o Cidade Nilo terá duas torres residenciais, lojas e, claro, um supermercado. Mas o grande diferencial é uma “praça suspensa”, que ficará acima da estrutura comercial e na base dos apartamentos. Ela terá, por exemplo, quadras de esporte e piscina com raia coberta, com vista para a Encol.

O projeto foi revelado por Claudio Zaffari, diretor do Grupo Zaffari e os executivos da Melnick: Juliano Melnick (CEO) Leandro Melnick (diretor do conselho administrativo), Marcelo Guedes (vice-presidente de Operações), Alberto Meneghetti (gerente geral) e o fundador Milton Melnick.

O terreno foi comprado pelo Zaffari em 2014. No local, já teve um Febernatti e um Nacional. Agora, a edificação será reconstruída para receber o novo projeto. Só na parte comercial, o investimento será de R$ 150 milhões. O diretor Claudio Zaffari explica que, além do supermercado e das lojas, haverá operações de saúde, educação e serviços públicos.

– Com o empreendimento, o grupo volta às origens, ao bairro onde nascemos como supermercado – comenta, acrescentando que unir comércio e residência em empreendimentos de alto padrão exige cuidados, como com ruídos e acessos de pessoas.

O terreno tem 10,25 mil metros quadrados, com 345 metros com a soma das “três frentes”. O projeto é assinado pelo Gui Mattos.

– É irreplicável, não haverá outro empreendimento assim, em um lugar como esse – diz o CEO Juliano Melnick.

A mudança de comportamento do consumidor, com a valorização do lar, também influenciou o projeto. Os apartamentos serão maiores e terão gabinete, pensando no home office. Haverá espaço para receber encomendas do e-commcerce, incluindo área refrigerada.

– Tem também “a volta das sacadas” – destacou o diretor Leandro Melnick, sobre as amplas varandas abertas e lembrando da época em que esses espaços eram fechados nos empreendimentos.

Com os números nas mãos, o vice-presidente Marcelo Guedes conta que a área total construída será de 53,5 mil metros quadrados. Na obra, serão 1,1 mil empregos diretos e outros 4 mil indiretos. Na operação do supermercado e das lojas, serão 400 postos de trabalho.

– Estima-se que cada comprador gaste de 30% a 40% do valor do imóvel, depois, para mobiliar e decorar – observa Guedes, para enfatizar a movimentação que o projeto gera na economia.

O lançamento está previsto para setembro. A construção deve começar seis meses depois, levando três anos. A ideia, portanto, é inaugurar em 2026. É possível que a parte comercial fique pronta antes, mas isso é algo a se acompanhar ao longo dessa grande obra que será feita na Capital.

Fonte: Giane Guerra, GZH

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados