4 tendências para o varejo de alimentos em 2022

Novos modelos de negócios, reinvenção da experiência e muito mais: o que podemos esperar dos supermercados neste novo ano

O setor de supermercados vem passando por grandes transformações nos últimos dois anos. Se em 2020 a pandemia estimulou a digitalização do setor e provocou uma corrida ao e-commerce e aos apps de delivery, em 2021 esse processo continuou e foi acompanhado pelo uso mais estratégico dos dados.

Ao mesmo tempo, a preocupação dos consumidores com o impacto ambiental de suas compras, a busca por valor para “esticar o orçamento” e a valorização do varejo de proximidade fazem com que os clientes passassem a priorizar formatos como atacarejos e minimercados. Nos meios de pagamentos, a expansão do Pix e o crescimento do cashback mostram que os consumidores têm buscado mais praticidade e querem obter cada vez mais vantagens em suas compras.

Tudo isso prepara o caminho para 4 grandes tendências que impactarão o varejo de supermercados em 2022:

  1. A nova experiência no PDV

A loja física vem reforçando seu lado lúdico e de encantamento – já que as compras online ganham força para a reposição de itens do dia a dia. De aulas culinárias a transmissões ao vivo direto do PDV, passando pela transformação de parte da área de vendas em restaurantes, os supermercados estão ampliando sua oferta de serviços.

Uma área que deverá ter um grande crescimento é a de refeições prontas – tanto para pedidos online quanto para compra na loja física. Para os clientes, é uma maneira rápida de comprar uma refeição – e mais barata que uma ida ao restaurante.

  1. Um novo impulso às vendas online

O amadurecimento das plataformas digitais e o “vai-não-vai” das novas variantes do coronavírus continuam estimulando que mais compras sejam feitas online. Nos Estados Unidos, 69 milhões de residências fizeram compras online de alimento em novembro, 15% mais que no pico do lockdown, um ano antes. Por lá, espera-se que as vendas de supermercados pela internet cheguem a 20% do faturamento do setor daqui a cinco anos.

No Brasil, a expansão continua ocorrendo, especialmente pela entrada de grandes marketplaces no varejo de alimentos. As compras online serão cada vez mais importantes para atrair novos clientes e aumentar a recorrência dos consumidores fiéis.

  1. Entregas ultra velozes

Em todo o mundo, startups estão crescendo com a promessa de entregar produtos em questão de minutos para os clientes nas grandes cidades. Redes de supermercados têm aproveitado essas plataformas para diminuir o prazo de entrega e oferecer uma experiência de extrema conveniência.

Da entrega em 30 minutos ao “clique e retire” na loja física, a possibilidade de resolver a necessidade de abastecimento da casa em pouco tempo continuará sendo uma tendência importante para os supermercados em 2022.

  1. Modelos de negócios alternativos

Em 2021, redes de supermercados e startups investiram em novos modelos de lojas. Vending machines, minilojas em condomínios e lojas autônomas são algumas dessas alternativas que procuram aproximar as marcas dos clientes e oferecer entregas rápidas, compras por impulso e muita praticidade.

Esse não é um fenômeno exclusivamente brasileiro. Nos Estados Unidos, por exemplo, redes de dólar stores, clubes de atacado e descontos vêm, há alguns anos, colocando o pé na venda de alimentos. A diferença é que, no Brasil, a expansão dos negócios acontece a partir da conveniência (lojas de proximidade) ou da busca por valor (atacarejos).

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados