E-commerce nacional mantém trajetória de crescimento e avança dois dígitos

Em janeiro, comércio eletrônico contabilizou alta sobre o mesmo período do ano anterior e também sobre dezembro, mês que tradicionalmente tem vendas mais aquecidas

As vendas realizadas pela internet expandiram em 20,56% no mês de janeiro de 2022, em relação ao mesmo período do ano passado. Considerando a mesma base comparativa, o faturamento do setor também teve alta: 18,99%. Os dados são do índice MCC-ENET, desenvolvido pela Neotrust | Movimento Compre & Confie, em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net).

“No primeiro mês de 2022, observamos a mesma tendência de crescimento sustentável das vendas online no Brasil, já observada nos últimos anos. O faturamento do segmento nos últimos 12 meses, comparado ao período anterior, alcançou mais de 25% de crescimento. São sinais fortes da força do canal online nos hábitos de consumo do brasileiro. Esperamos crescimento de dois dígitos no volume de vendas para 2022 em relação ao ano passado”, afirma Gastão Mattos, responsável pela Divisão de Varejo Online da camara-e.net.

Vale destacar que em dezembro de 2021 o e-commerce representou 9,3% do comércio varejista restrito (exceto veículos, peças e materiais de construção). No acumulado dos últimos 12 meses, percebe-se que a participação do e-commerce no comércio varejista corresponde a 12,2%, de acordo com indicador feito a partir da última Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE, divulgada no dia 9 de fevereiro.

Se tratando de faturamento, o segmento cresceu 8,09% em janeiro de 2022 em relação a dezembro de 2021. Na comparação com os últimos 12 meses a variação positiva foi de 25,31%. Considerando o faturamento regional, o desempenho do Sul foi de 26,47%, o do Centro-Oeste de 22,43%, enquanto do Norte foi de 20,55%, o do Nordeste de 19,98% e o do Sudeste de 16,44%.

Voltando para dezembro de 2021, a composição de compras realizadas pela internet, por segmento, ficou da seguinte forma: equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (43,1%); móveis e eletrodomésticos (28,2%); e tecidos, vestuário e calçados (10,3%). Na sequência, artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (7%); outros artigos de usos pessoal e doméstico (5,5%); hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,9%); e, por último, livros, jornais, revistas e papelaria (2%). Esse indicador também utiliza a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE como base.

Comparação mensal

Ao comparar o mês de janeiro com dezembro, houve uma leve alta de 0,63% nas vendas online. No acumulado dos últimos 12 meses, a expansão foi de 16,14%.

A avaliação regional, usando o período comparativo de janeiro de 2022, ante o mesmo mês do ano passado, a composição ficou da seguinte forma: Norte (33,49%); Centro-Oeste (28,87%); Nordeste (27,35%); Sul (23,19%); e Sudeste (17,22%).

Já no acumulado dos últimos 12 meses, o desempenho foi: Nordeste (27,98%); Centro-Oeste (25,70%); Norte (24,68%); Sul (22,78%); e Sudeste (11,10%).

Os consumidores estão cada vez mais comprando pela internet. Segundo o MCC-ENET, no trimestre de outubro a dezembro de 2021, 18,5% dos internautas brasileiros realizaram ao menos uma compra online.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados