10 macrotendências de alimentos para ficar de olho em 2022

Confira os temas que deverão direcionar o comportamento dos consumidores dentro dos supermercados no próximo ano

No próximo ano, alimentos naturais, orgânicos e frescos continuarão ganhando participação de mercado, crescendo acima das vendas de alimentos convencionais. Para Brandon Barnholt, presidente e CEO da KeHE, maior distribuidora de produtos naturais e orgânicos dos Estados Unidos, a tendência é de uma mudança mais permanente nos hábitos dos consumidores, em busca de alimentação mais saudável. “Estamos nos adaptando a um novo momento do mercado, com um ‘novo normal’ que apresenta grandes desafios e exige mais inovação para quem quer crescer em alimentos e bebidas”, afirma.

A KeHE realiza entregas para mais de 30 mil pontos de venda no mercado americano – entre redes de supermercados, varejistas independentes, e-commerces e outros operadores de alimentos – e, ao final de cada ano, divulga um “guia de tendências” para o ano seguinte. O 2022 Macro Trend Guide analisa os grandes acontecimentos de 2021 no setor de alimentos e projeta suas possíveis repercussões para o ano que vem.

Em sua mais recente edição, o Macro Trend Guide aponta 10 grandes tendências para o segmento de alimentos e bebidas:

  1. Exploração culinária – os consumidores estão usando a culinária para viajar pelo mundo, experimentando novos sabores (como yuzu e ube). No mercado americano, as gerações mais novas estão aumentando o consumo de culinária mediterrânea e africana.
  2. Explosão das foodtechs – alimentos plant-based avançam para categorias como itens prontos para comer, substitutos ao açúcar e novas categorias, um movimento impulsionado por startups.
  3. Bebidas sem álcool – os consumidores estão buscando cada vez mais produtos sem álcool, como parte de um movimento mais amplo de vida saudável.
  4. Marcas com propósito – os consumidores irão buscar marcas que implementam medidas de redução de água, pegada de carbono e reciclagem.
  5. Conveniência em alta – a pandemia levou mais consumidores a favorecer alimentos de conveniência, incluindo snacks “grab and go”, refeições congeladas inspiradas por chefs e aperitivos refrigerados.
  6. Dietas flexitarianas – os consumidores não seguem mais dietas estritas, mas gostam de escolher aquilo que mais os agradam em cada momento. Um exemplo é a redução do uso de carne, em vez da adoção de uma dieta 100% vegana ou vegetariana.
  7. Indulgências permissíveis – 69% dos consumidores entrevistados pela KeHe disseram querer consumir snacks que têm sabor, mas que também são uma alternativa mais saudável.
  8. Compras locais – questões na cadeia de suprimentos fizeram com que comprar localmente se tornasse uma necessidade. Além disso, os consumidores também querem se sentir mais conectados às suas comunidades.
  9. Alta no consumo de cereais – o consumo de grãos e nuts terá uma grande alta em 2022, como parte de um movimento em direção a produtos mais saudáveis e com menor impacto ambiental.
  10. Colaborações e funcionalidade – com o aumento dos preços de alimentos, os consumidores passam a otimizar suas refeições. Com isso, surgem combinações como o uso de cogumelos no café da manhã.
Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados