Assaí busca faturamento de R$ 100 bilhões e 300 lojas até 2024

Rede também mira a expansão do mix de produtos e o seu incremento com maior valor agregado, mas sem perder o viés de preço baixo da bandeira

Depois de um 2021 de resultados positivos, o Assaí Atacadista acredita em um ano ainda melhor para 2022. Para o presidente Belmiro Gomes, a estratégia da companhia é fazer uma mudança de posicionamento no mercado alimentar do país. “Isso permitirá um ciclo positivo para aproveitarmos o momento. Nosso modelo de baixo custo se beneficia em situações de economia mais retraída”, comentou Gomes durante teleconferência na manhã desta terça-feira (22).

Para a companhia, a melhora na situação da pandemia é outro fator que deve ajudar o segmento de alimentos. Com os preços mais elevados e a retração do mercado durante o período mais agudo da pandemia, os clientes jurídicos tiveram mais cautela para manter seus estoques altos, mas a volta gradual das atividades econômicas será importante para que o consumo, como um todo, retorne a patamares pré-pandemia.

Em 2021, a companhia abriu 28 lojas, 24 lojas orgânicas e outras quatro conversões de outros formatos. Apenas no último trimestre, foram inauguradas 21 lojas, encerrando o ano com 212 lojas em operação e uma área de vendas de 964 mil metros quadrados, 19% superior em relação a 2020.

Para os próximos anos, Belmiro disse que a previsão é inaugurar mais de 30 novas lojas e conversão de até 70 lojas do Extra Hiper. “O objetivo da companhia é um faturamento de R$ 100 bilhões e 300 lojas até 2024.”

O diretor de operação, Anderson Barres Castilho, enfatizou a expansão do mix de produtos nas lojas da companhia e a importância de oferecer produtos com maior valor agregado. “A localização das lojas adquiridas do Extra no permite ter seções com maior valor agregado, mas sem perder a nossa característica de preços baixo”, apontou Castilho. Para ele, o impacto nas despesas da companhia é pequeno diante dos resultados positivos e da percepção que o cliente terá nas lojas.

Ele também lembrou que é preciso manter as despesas controladas para continuar uma operação de baixo custo e, assim, competir em igualdade com os concorrentes. “É fundamental para otimizar a operação. Corte nos custos, sem perder a qualidade. A operação produtiva faz diferença para o cliente”, concluiu Castilho.

Sobre a expansão do e-commerce, o presidente Belmiro Gomes não quis adiantar números, já que a operação está em fase de implantação, mas deixou claro que a expansão das lojas físicas fará a demanda por esse tipo de serviço aumentar. “Temos uma parceria com a Conershop, da Uber, e agora fechamos com o Rappi. Estamos trabalhando para expandir esses serviços e até o fim deste semestre anunciaremos mais detalhes”, comentou Gomes.

O Assaí reportou lucro líquido atribuível aos acionistas de R$ 527 milhões no quarto trimestre de 2021, uma alta de 76,3% em relação ao desempenho obtido no mesmo período do ano passado, com margem líquida de 4,6%, o que representa uma elevação de 1,8 ponto percentual. No acumulado do ano passado, o lucro líquido ultrapassou R$ 1,6 bilhão, salto de 60,5% em relação a 2020, resultando em uma elevação de 1,0 p.p. na margem líquida, para 3,8%.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados