BRF se compromete a zerar emissões de gases até 2040

A empresa adotará ações escalonadas em toda a cadeia de produção com objetivo primário de reduzir até 2030, 35% das emissões diretas

A BRF comunicou nesta quarta-feira o compromisso de zerar o balanço de emissões de gases causadores do efeito estufa até 2040. O anúncio foi feito por Lorival Luz, CEO global da companhia, durante o 2º Fórum ESG organizado pela empresa.

“A questão climática é um desafio para todos. Cada um precisará fazer a sua parte, e o prazo para agirmos diminui a cada dia. A BRF vem se preparando para enfrentar a questão do aquecimento global há muito tempo, por isso temos consciência da relevância do anúncio que estamos formalizando hoje”, disse, durante o evento online. “Vamos reduzir as emissões de gases de efeito estufa e neutralizar as residuais”.

Segundo a vice-presidente global de relações institucionais, Grazielle Parenti, a empresa adotará ações em várias etapas de sua cadeia de produção. O objetivo será reduzir, até 2030, 35% das emissões diretas geradas pelas operações da empresa e as indiretas originadas pelo consumo de energia elétrica ou térmica, além de 12,3% das emissões indiretas, com neutralização das emissões residuais até 2040.

Quatro frentes serão prioritárias nos esforços: compra sustentável de grãos, fomento à agricultura de baixo carbono, aumento de uso de energia renovável e incremento da eficiência operacional. O processo de compra de grãos, informaram os executivos, terá novas diretrizes para que essa cadeia seja livre de desmatamento. A companhia não originará grãos do bioma amazônico de propriedades em que tenha havido desmatamento.

Em energia renovável, haverá investimentos nas fontes eólica e solar para que mais de 50% da energia consumida pela operação seja proveniente de fontes limpas até 2030. A empresa já havia anunciado em março uma parceria com o Banco do Brasil a oferta de R$ 200 milhões em li mite de crédito para financiar investimentos na instalação de painéis de energia solar nas granjas de 9,5 mil produtores integrados de aves e suínos. A expectativa é chegar a 700 granjas até o próximo ano. O uso de biogás parar gerar energia para essas estruturas é outra uma tecnologia que também ajudará a empresa a alcançar as metas.

Nas operações industriais, a BRF utilizará novas tecnologias de tratamento de efluentes e resíduos para reduzir as emissões de gases de efeito estufa. Já na parte logística, a empresa anunciou recentemente o novo centro de distribuição no Espírito Santo, o mais sustentável das operações e que servirá como modelo dos próximos e para nortear ajustes nos atuais, com painéis solares com capacidade para gerar até 1,5 megawatt de energia. A instalação terá, também, reaproveitamento de água, inovações na geração de frio e veículos com zero emissão de gás carbônico.

A empresa já vem fazendo mudanças. No evento, ela apresentou 22 compromissos no âmbito da Política de Sustentabilidade, divulgada no fim de 2020.

Hoje, segundo a companhia, cerca de 90% da energia elétrica que ela consome em escala global já vem de fontes renováveis. No ano passado, 3% foram de fontes não apenas renováveis, mas também limpas. Até o fim deste ano, a expectativa é que 25% da energia consumida seja gerada por fontes limpas.

Por Érica Polo, Valor

Posts Relacionados

Fique por dentro de nossas novidades