Consumo de produtos sustentáveis dobra no país

 Consumo de produtos sustentáveis dobra no país

Estudo “Tendências de consumo online com impacto positivo” traz detalhes importantes do público que prioriza a sustentabilidade

O Mercado Livre divulgou estudo sobre o consumo online de produtos com impacto positivo, aqueles que promovem a redução de impactos no meio ambiente e/ou a geração de benefícios socioambientais. Realizada a partir de dados da plataforma, colhidos entre abril de 2021 e março deste ano, a pesquisa aponta que dobrou o consumo de produtos sustentáveis no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México e Uruguai.

Chamado de ‘Tendências de consumo online com impacto positivo’, o estudo detalha ainda que cerca de 4,3 milhões de pessoas adquiriram mais de 7,3 milhões de produtos sustentáveis no último ano. O Brasil corresponde a 40% desse mercado, cujo crescimento das vendas foi duas vezes maior em relação ao levantamento anterior.

Segundo o estudo, o Brasil se destaca mais uma vez e já responde por 53% dos compradores da categoria, crescimento de mais de 123% em relação ao levantamento anterior, indicando a forte tendência de expansão do consumo de produtos que geram benefícios para o planeta e para as pessoas, promovendo um estilo de vida, hábitos e comportamentos mais sustentáveis. Em relação ao volume de consumidores, o Brasil também se sobressai: 32% mais brasileiros optaram por itens dessa categoria, enquanto o crescimento na América Latina foi de 29%, número igualmente expressivo.

Desde 2020, quando esse estudo passou a ser produzido, houve uma recuperação na região, onde o total de vendedores da categoria subiu 37%. No Brasil, o crescimento acumulado supera os 45%. Ao analisar o comportamento de compra na região, para mais de 380 mil usuários, a primeira compra na plataforma foi de um produto sustentável — 48% deles no Brasil. Em toda região, o número de empreendedores e marcas que oferecem produtos de impacto positivo atingiu 63 mil, sendo que 38% deles se encontram no Brasil.

Mais vendidos

Casa & Móveis foi a categoria líder em vendas no Brasil e na região, sobretudo composteiras e iluminação à base de LED; assim como a seção de Eletrodomésticos, com produtos de alta eficiência energética. Fazem parte dessa lista as categorias de Alimentos & Bebidas, principalmente orgânicos ou veganos, além de Esporte & Fitness, Beleza & Cuidado Pessoal. As categorias que mais cresceram no país foram Games (712%) e Celulares (517%) recondicionados, e Alimentos & Bebidas (235%).

No Brasil, os 10 produtos sustentáveis mais vendidos no período foram: lâmpada LED, purificador de água, bicicleta, aparelho de ar-condicionado com eficiência energética (A ou mais), máquina de lavar e secadora de roupas com eficiência energética, garrafa reutilizável, micro-ondas com eficiência energética, cápsula de café recarregável, geladeira com eficiência energética e coletor menstrual.

Mais buscados

Já os termos mais procurados na plataforma brasileira foram bicicleta, garrafa térmica, lâmpada solar, copo menstrual, fralda ecológica, carro híbrido, escova de bambu, cápsula reutilizável, composteira doméstica e horta vertical. A bicicleta liderou as buscas nos seis países pesquisados. As categorias buscadas que mais cresceram no país foram purificador de água (82%), garrafa térmica (75%) e fralda ecológica (53%).

Tal como no ano anterior, a composição e qualidade dos produtos estiveram dentre os fatores mais valorizados na hora de escolher um produto sustentável na comparação com um item comum, segundo o Mercado Livre. Durante essas buscas no Brasil, se destacam os produtos feitos com material reciclado, com embalagem reciclável e durabilidade — no caso das embalagens, o país é o que mais valoriza esse fator.

Perfil do consumidor

Pesquisa adicional com mais de 3.800 usuários da plataforma, realizada em abril deste ano, mostrou que a maior parte (32%) dos consumidores brasileiros da categoria sustentável tem entre 35 e 44 anos — os consumidores acima de 55 anos também representam 32% dos compradores.

Dentre os países pesquisados, o Brasil representa 25% das respostas dos consumidores da região, sendo que 91% deles concordaram que “a atual situação ambiental é muito preocupante” devido a fatores como o aquecimento global, contaminação e escassez de água.

Fonte: ECBrasil

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados