GPA e Assaí fecham negócio com os imóveis do Extra por 25 anos

Contrato definitivo com fundo de investimento imobiliário está alinhado com o foco nas bandeiras de maior rentabilidade

O Grupo Pão de Açúcar (GPA) e o Assaí assinaram contratos definitivos com fundo de investimento imobiliário Barzel Properties para a alienação de até 17 imóveis próprios do GPA ao fundo, pelo valor de aproximadamente R$ 1,2 bilhão, e posterior locação de tais imóveis pelo Assaí, pelo prazo de 25 anos, renováveis por um período adicional de 15 anos.

O fechamento dos contratos está sujeito ao cumprimento de determinadas condições, incluindo, mas não se limitando, a aprovação das autoridades concorrenciais, dizem as empresas em comunicado conjunto enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A Barzel Properties é uma empresa de investimentos imobiliário controlada pelo GIC, fundo soberano de Cingapura.

Os conselhos de administração do GPA e do Assaí aprovaram a transação imobiliária, que faz parte do contexto da conversão de lojas da bandeira Extra Hiper operadas pelo GPA no formato “cash & carry”, que passarão a ser operadas pelo Assaí.

As empresas também comunicaram que a cessão dos pontos comerciais do GPA para o Assaí avança em linha com o cronograma, já tendo ocorrido o encerramento das operações de todas as lojas objeto da transação de hoje, bem como a cessão da maior parte das lojas ao Assaí. “Espera-se que os demais pontos comerciais sejam cedidos ao Assaí até o final do primeiro trimestre de 2022.”

“Com isso, o GPA inicia o ano de 2022 com a estrutura mais enxuta, foco nas bandeiras de maior rentabilidade e performance e aceleração da plataforma digital, bem como na conversão dos hipermercados mantidos pelo GPA em lojas Pão de Açucar e Mercado Extra”, diz a nota.

Já o Assaí acelera seu plano de expansão em 2022 com a abertura de cerca de 50 lojas, sendo 10 orgânicas, com previsão de abertura no primeiro semestre, e 40 conversões para o formato “cash & carry”, com inaugurações estimadas para o segundo semestre. As demais lojas a serem convertidas devem ser inauguradas até o final do primeiro trimestre de 202

Fonte: Cristiana Euclydes, Valor

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados