Grupo Mateus quer dobrar de tamanho até 2025, lançando 50 lojas por ano

Meta ambiciosa da rede maranhense que fatura mais de R$ 14 bi por ano, é ampliar a presença nos estados brasileiros. Em fevereiro, vai inaugurar no mesmo dia lojas em lados opostos do Rio São Francisco

Grupo Mateus pretende chegar a seis novos estados a partir do primeiro trimestre de 2022, elevando o ritmo de abertura de lojas para até 50 por ano, disse Marcelo Korber, diretor de relações com investidores da varejista alimentar.

A empresa quer alcançar os mercados consumidores da Bahia, Pernambuco, Sergipe, Alagoas, Paraíba e Rio Grande Norte a partir do primeiro trimestre do ano que vem, com abertura de duas lojas já em fevereiro. “Com a nova regional, devemos abrir entre 45 e 50 lojas com alguma consistência ao longo dos anos, ante expectativa de 35 a 45”, ressaltou Korber.

O foco da nova regional será o chamado cash and carry, ou atacarejo, em português. “O grupo terá esse foco, pois nossa estratégia começou neste formato. Essa estratégia nos fez dominante nos locais onde estamos e esperamos garantir, inclusive, a oportunidade de explorar cidades menores nesses estados, que estão fora do radar de nossos concorrentes”, completou Korber.

Contudo, a inflação tem se mostrado um desafio para o ambicioso plano de expansão da rede Mateus. “A alta de custos pesa, mas de forma igual para todos”, afirmou Kerber. O diretor explica que a companhia aposta na qualidade para se tornar referência nos locais onde atua, além de uma logística desenvolvida capaz de mitigar os efeitos inflacionários sobre a cadeia de suprimentos do grupo.

Perguntado sobre como o Auxílio Brasil impacta as operações da companhia, Korber disse que o benefício não deve ser entendido como direcionamento de crescimento, mas que vai ajudar os resultados em 2022. “Não abrimos mais lojas ou menos em função do auxílio. O ano de 2020 deixou claro que o auxílio ajuda no perfil de consumo e alivia a corrosão de renda, mas não nos faz mudar de opinião em relação ao crescimento”.

Estreia em dobro no Rio São Francisco

Em fevereiro de 2022, o empresário maranhense Ilson Mateus Rodrigues, fundador e presidente da rede varejista grupo Mateus – eleito pela DINHEIRO o Empreendedor do Ano no Varejo – fará em um mesmo dia a inédita estreia do grupo em dois novos estados nordestinos, Pernambuco e Bahia, com a abertura de lojas em Petrolina e Juazeiro, em margens opostas do Velho Chico, o rio São Francisco.

“Depois do nosso IPO em 2020, estamos acelerando a expansão e consolidando nossa liderança em todos os locais em que atuamos”, disse o empresário. O plano, segundo ele, é focar as estratégias e os investimentos nas regiões em que opera, pelos próximos dez anos, no mínimo. Só então desbravar outras regiões, como Sul, Sudeste e Centro-Oeste. “Não quero atirar para todos os lados e ser fraco em vários estados”, afirmou. Pelo ranking de 2020 da revista americana Forbes, Ilson Mateus possui fortuna pessoal de R$ 20 bilhões, o nono brasileiro mais endinheirado e um dos 11 compatriotas da lista.

Ao levantar R$ 4,63 bilhões com a abertura de capital, Rodrigues capitaneou o maior IPO do Brasil em 2020, em pleno ano de retração econômica e pandemia. A força da marca e o potencial de crescimento da empresa seduziram os investidores na bolsa. Com razão. O conglomerado também opera supermercados, lojas de móveis e eletrodomésticos, indústria de panificação, distribuição de medicamentos e materiais construção. Na lista das maiores atacarejos do Brasil, fica atrás de Assaí (Grupo Pão de Açúcar), Atacadão (do Carrefour) e do grupo chileno Censosud.

EXPANSÃO

Somente em 2021, foram inauguradas 45 lojas. Em dezembro, a empresa abriu as portas de nove novas lojas em várias frentes de negócios, sendo quatro de eletro, três de varejo e duas de atacarejo. Para sustentar o crescimento do grupo em seis estados do Nordeste, foram inauguradas sede administrativas em Recife e Salvador. Além disso, Centros de Distribuição já estão em funcionamento nos municípios de Cabo de Santo Agostinho, região metropolitana de Recife, e em Feira de Santana, interior baiano.

Até 2025, a empresa deve dobrar o número de lojas em seu portfólio. Mas a expansão não se limita à abertura de lojas. Segundo Rodrigues, parte do crescimento virá do e-commerce, com o lançamento de um app para atender o cliente final e dar suporte ao time de vendas e representantes comerciais. “Estamos fazendo várias experimentações em todas as áreas para criar massa crítica e aprender o que dá certo”, afirmou o empresário. “Aqui na empresa sempre digo que prejuízo pequeno é lucro. Se não ganhamos dinheiro em determinado negócio, pelo menos ficou o aprendizado.”

O empresário

A trajetória do empresário Maranhense Ilson Mateus Rodrigues, fundador e presidente da rede varejista Grupo Mateus, renderia um filme ou um daqueles livros de autoajuda e motivação. Mas não agora. A história, diz ele, ainda está sendo escrita.

À frente da maior rede varejista das regiões Norte e Nordeste – e a quarta maior empresa de varejo alimentar do Brasil –, o ex-engraxate, torneiro mecânico, garimpeiro de Serra Pelada e vendedor de cachaça nascido em Imperatriz, interior do estado, hoje é dono de uma companhia em expansão acelerada, com faturamento de R$ 14,4 bilhões no ano passado e 195 lojas no Maranhão, Pará, Piauí e Ceará.

“Nossa empresa é resultado da persistência e fruto da força do trabalho”, disse Rodrigues, de 58 anos, que deu início à empresa em 1986 como um pequeno armazém de 50 m² no município de Balsas (MA). “Costumo dizer que temos de ser como lagartos no deserto, que se adapta ao ambiente para sobreviver e sempre seguir em frente”, afirmou.

Cristão fervoroso, Ilson Mateus afirma que tem dobrado os joelhos com muita frequência para tomar as decisões mais importantes da companhia. “Não deixo de orar e pedir a Deus orientação para conduzir a empresa e minha vida”, afirmou. “Em muitos momentos da minha trajetória, se não fosse a intervenção divina, não teria acontecido”, disse.

A julgar pela história de sucesso pessoal e pelo bom desempenho do Grupo Mateus, o fiel empresário do Maranhão tem tido suas orações atendidas.

Fonte: Hugo Cilo, Isto É Dinheiro e Artur Horta, TC.com.br

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados