Marcas honestas para os próximos anos

Não dá mais para enganar. Os consumidores estão ficando cada vez mais espertos mais bem informados e com pouco dinheiro para gastar.
Marcas honestas com qualidades reais que faltam a muitos concorrentes tem conquistado o respeito dos consumidores.

Assim, o velho marketing da enganação (cujo melhor exemplo é o político) começa a ser revisto pelos anunciantes:

– Eleito o melhor carro do ano. (Quem elegeu?)
– Imperdível, conheça o lançamento do ano. (Acho que vou perder?)
– Você nunca viu preço igual! (E você?)
– Ofertas incríveis de aniversário. (Às vezes são dois aniversários por ano).
– Black Friday ou Black Fria
E tantos outros….

Esse “oba oba” pouco criativo deve dar espaço para campanhas mais sérias, honestas e mais criativas e com melhor poder de fidelização.
Um artigo na revista “The Economist” mostra qual é este novo caminho.
– Descontos reais e corretos
– Marcas honestas
– Autenticidade (sólido conjunto de valores.)

Ao invés de veicular valores emocionais ou sociais relacionados à marca ou produto, as empresas deveriam bombardear os consumidores com muitos fatos verdadeiros, tentando conferir e transmitir autenticidade aos consumidores.

Não se esqueça! Com alguns cliques as pessoas descobrem facilmente as verdades e inverdades sobre o que pretendem comprar, onde e a que preço. Assim elas abandonam com mais facilidade a marca que usam e que estão acostumadas quando, por exemplo, ouvem falar de um produto novo que traz mais “valor” ou ficam sabendo que um varejista vende algo praticamente igual, mas como sua marca própria ou exclusiva a preço mais compensador.

“É grande a variedade de bens de consumo cujas marcas vêm perdendo a capacidade de simbolizar qualidade e assim acabam não conseguindo abrir a carteira das pessoas”, sustenta Itamar Simonson em seu livro Absolute Value.

Com um público consumidor mais bem informado, as marcas honestas e autênticas conquistam o respeito desses consumidores e eles deixam de ficar refém das estratégias de marketing enganosas.


Preços corretos, descontos reais e autenticidade começam a ganhar espaço e respeito nas campanhas de marketing e na mente dos consumidores.

Cuidado com os antigos marqueteiros que podem tentam fazer surgir do nada a virtude da autenticidade. E diriam: se ela é o segredo do negócio, ganha quem conseguir forjá-la.


Condensado do “The Economist”

*Antonio Carlos Ascar é estudioso das tendências mundiais do varejo de autosserviço. Graduado e pós-graduado em Administração de Empresas pela FGV (SP), e especialização em Empreendedorismo pela Babson College de Boston (EUA). É autor do livro Glossário Ascar de Termos Supermercadistas e do livro Distribuindo as Camisas, (foto ao lado – à venda nos sites www.submarino.com.br e www.extra.com.br). Por 31 anos foi diretor executivo do Grupo Pão de Açúcar, implantou diversos formatos de loja como: Extra, Minibox, Superbox, Peg Faça, Express, entre outros. Atualmente é consultor e sócio diretor da Ascar & Associados, empresa de consultoria que atua na prestação de serviços a redes supermercadistas. Ascar é também consultor de varejo da Abras e articulista da revista SuperHiper, publicação Abras. www.ascarassociados.com.br

Clique aqui e confira o dicionário do setor.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados