Varejista americana usa esqueleto robótico na logística

Nos Estados Unidos, a Rede Ahold Delhaize adota mais de 250 equipamentos que reduzem esforço físico dos times de fulfillment

Em filmes como “Aliens – o Resgate”, “Matrix – Revolutions” e “O Limite do Amanhã”, os personagens principais utilizavam máquinas que potencializavam os movimentos das pessoas. Exoesqueletos que aumentavam a força e davam capacidades sobre-humanas. Em um exemplo de “a vida imita a arte”, a rede americana de supermercados Ahold Delhaize está adotando 250 esqueletos robóticos para suas equipes nos Centros de Distribuição.

Criados pela Verve Motion, os equipamentos diminuem o esforço que os colaboradores precisam fazer no picking dos pedidos online e na reposição das lojas físicas. Nos testes realizados no ano passado, a tecnologia diminuiu entre 30% e 40% a carga nos músculos das costas dos profissionais. O resultado é uma melhor postura, redução das lesões por esforço repetitivo, menos cansaço e mais produtividade.

Ao contrário do que acontece com as complicadas estruturas robóticas dos filmes, porém, os equipamentos usados nos Centros de Distribuição podem ser colocados no corpo em menos de 30 segundos e contam com uma bateria que suporta todo um turno de trabalho.

Essa não é a primeira iniciativa da Ahold Delhaize no uso de robôs para aumentar o desempenho de suas operações de supply chain. No início do ano, a Retail Business Services, uma empresa do grupo, desenvolveu um piloto para o uso de robôs que fazem a desinfecção de ambientes com raios ultravioleta em dois Centros de Distribuição nos EUA, ajudando nos procedimentos de higienização de ambientes contra Covid-1.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados