ABRAS lança conceito de eficiência operacional no Smart Market

A partir de agora, o setor terá um novo olhar com avaliações mais modernas sobre o antigo tema “prevenção de perdas”

*Roberto Leite

Depois de mais de duas décadas apurando as perdas no varejo supermercadista, a Associação Brasileiras de Supermercados (ABRAS), lançou um novo olhar sobre uma das mais tradicionais pesquisas realizadas pela entidade e que tanto ajuda o setor supermercadista brasileiro a se autoavaliar, a compreender em que momento se encontra e identificar as bem-vindas oportunidades de melhoria.

E essa nova perspectiva foi anunciada no segundo dia do Smart Market, que contou com a realização do Fórum de Eficiência Operacional, nova designação do antigo Fórum de Prevenção de Perdas. Aberto pelo vice-presidente Institucional e Administrativo da ABRAS, Marcio Milan, que deu as boas-vindas a todos, tanto os presenciais quanto aos que acompanhavam o evento on-line, coube ao vice-presidente de Ativos Setoriais da ABRAS, Rodrigo Segurado, anunciar uma nova visão e a nova abordagem à avaliação de perdas, realizada há mais de duas décadas, que agora passa a sinalizar o nível de eficiência operacional das empresas.

Ele explicou que o setor chegou a um momento de inflexão e de ressignificado desse conceito. “Nós gostaríamos de comunicar ao mercado que partir desse momento não pretendemos mais tratar do tema perdas e desperdícios de alimentos, mas sim de Eficiência Operacional. O setor de supermercados é extremamente eficiente, se olharmos a cadeia de abastecimento, somos um dos elos mais eficientes, desde os insumos agrícolas até o varejo alimentar para ao consumidor e somos um dos setores mais eficientes da economia brasileira”, enfatizou Segurado.

Chamado ao palco pelo vice-presidente Marcio Milan, o presidente da ABRAS, João Galassi, parabenizou a mudança, o novo olhar, a nova forma de a entidade ressignificar a visão de como a pesquisa passa a avaliar esses dados importantes para o setor e que mostram o vigor das empresas supermercadistas.

O presidente aproveitou para anunciar que além das nove comunidades criadas pelo evento — comercial, financeiro, jurídico, tecnologia, operações, pessoas, marketing, expansão, obras e engenharia, CEOs —, foi criada também, no LinkedIn, a comunidade de eficiência operacional da empresa, que terá três embaixadores: Gernaldo Gomes, da Coop, Mônica Reimberg, do Sonda, e Éder Motin, do Condor. “Esse novo departamento, essa nova área vai traduzir com muita clareza o que nós pensamos. Esse é o novo departamento que a ABRAS está propondo, tendo essa área de eficiência operacional a empresa vai se beneficiar com esse novo modelo. E é preciso não confundir operações com operacional”, provocou o presidente Galassi.

Ele anunciou também que o Comitê de Eficiência Operacional, que substitui o Comitê de Perdas e Desperdícios da ABRAS, terá a partir de agora um diretor à frente desse comitê e não mais um coordenador. E o cargo passa a ser ocupado por Ederson Fernandes, do Grupo Giassi.

“É um novo olhar, um novo momento. Nós somos muito eficientes, e nós vamos comprovar isso, que nós podemos ir muito além. E esse profissional de eficiência operacional tenho certeza que vai contribuir muito com nosso desenvolvimento”, finalizou o presidente Galassi.

Na opinião do vice-presidente de Ativos Setoriais da ABRAS, Rodrigo Segurado, o setor precisa perseguir, a cada dia, mais eficiência, mas tratar disso de forma propositiva e positiva e não simplesmente diagnosticar aquilo que ou perdemos ou desperdiçamos.   

Ele explicou que ao longo do tempo a ABRAS mediu as perdas que registravam algo em torno de quase 2% do faturamento, e ponderou que a boa notícia é que o setor é 98,13% eficiente e que por isso, a partir de agora, a ABRAS está ressignificando o conceito para eficiência operacional. “Entenda-se eficiência operacional do negócio, da empresa, não apenas da área de operações. Eficiência operacional tem uma amplitude de conceitos maior do que simplesmente perdas e desperdícios.

Em seguida apresentou alguns números dentro do Mapa de Oportunidades de Ganho de Eficiência que compõe a nova abordagem da pesquisa e que oferecem algumas alavancas e oportunidades de ganho de eficiência, como quebra operacional, que registrou 57%, desvio operacional, com 28%, e erros administrativos, com 67%.

Após a apresentação da nova nomenclatura do Comitê e do Fórum, aconteceram vários painéis para debater e analisar os números relativos ao ano de 2021 de Eficiência Operacional ABRAS. Foram realizados cinco painéis do Fórum de Eficiência Operacional (Apresentação dos novos números; Comercial; Financeiro; Operações e Quebra Operacional) com a participação de profissionais de diversas redes supermercadistas de várias regiões do Brasil.

A próxima edição da Revista SuperHiper, do mês de maio, trará a cobertura completa do Fórum de Eficiência Operacional ABRAS, destacando todos os painéis e tudo que o foi debatido pelos convidados.  

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados