Brasil bate recorde de vendas de vinho na pandemia 

Aumento no consumo foi de 30% em relação a 2019, com quase 3 garrafas por pessoa, sendo que metade bebe, no mínimo, uma vez por semana  

O brasileiro nunca consumiu tanto vinho como neste último ano de pandemia. Em média, foram consumidos 2,78 litros de vinho per capita, o que representa um aumento de mais de 30% em relação a 2019.

É o que releva um estudo divulgado pela plataforma CupomValido.com.br, que reuniu dados do Statista, Euromonitor e Nielsen, sobre o consumo de vinho no Brasil e no mundo.

O consumo total foi de 501 milhões de litros (contra 383 milhões no ano anterior), um valor nunca atingido na história. Ao considerar todos os países da América Latina, o Brasil ficou só atrás da Argentina.

Do total de 83 milhões de consumidores de vinho no Brasil, 46% tomam vinho pelo menos uma vez por semana, e 53% pelo menos uma vez por mês.

O vinho tinto é o preferido dos brasileiros, com 55% da preferência. O branco fica em segundo lugar, com 25%. Em terceiro, está o rosé, com 20% do total.

No caso do tinto, o tipo preferido dos brasileiros são os da uva Malbec, originária da França e com quase 59% do plantio mundial. Em sequência, aparecem Cabernet Sauvignon e Merlot.

Para os vinhos do tipo branco, a primeira opção é a do tipo Chardonnay. A uva do tipo Sauvignon Blanc e a Moscato estão na segunda e terceira posição, respectivamente.

Vinhos mais vendidos

Nacionais

1 – Pérgola – Campestre

2 – Quinta do Morgado – Fante

3 – Salton – Salton

4 – Galiotto – Galiotto

5 – Chalise – Salton

Importados

1 – Reservado – Concha y Toro

2 – Casillero Del Diablo – Concha y Toro

3 – Tres Medallas – Santa Rita

4 – Santa Rita 120 – Santa Rita

5 – Casal Garcia – Avelada

Perfil e origens

Aproximadamente 59% dos consumidores de vinhos no país têm mais de 35 anos. Além disso, 30% dos consumidores utilizam os canais digitais, como portais ou lojas on-line para comprar vinhos.

Os brasileiros também podem são considerados consumidores abertos à novas experiências, já que mais de 70% estão dispostos a provar novos tipos vinhos, não ficando preso só a uma marca ou subtipo de uva.

Segundo a pesquisa, no Brasil, 69% do total de vinho consumido é nacional, contra 31% importado. A alta do dólar foi um dos principais contribuidores pela queda no consumo de vinhos importados em comparação com o ano anterior.

Mais de 42% dos vinhos importados são provenientes do Chile – Argentina e Portugal, com 16% e 15%, respectivamente, vêm em seguida. O Estado brasileiro que mais importou vinho foi Santa Catarina, com 30% do total, seguindo por São Paulo e Espírito Santo.

Preferência mundial

O vinho mais vendido do mundo é o da marca Barefoot, dos Estados Unidos. O segundo na lista é da Concha y Tore, do Chile. A marca Gallo, também dos EUA, vem em terceiro.

Os Estados Unidos são o país que mais consome vinho do mundo, com mais de 33 milhões de hectolitros por ano ou 13% do consumo mundial. França e Itália aparecem na segunda e na terceira posição, respectivamente.

Levando em consideração o consumo per capita, a ordem muda: a França aparece na liderança, seguida de Portugal.

Fonte: Globo Rural

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados