BRF adianta meta de colocar mais mulheres como líderes

Multinacional tem compromisso público com o Pacto Global da ONU para ampliar a inclusão feminina no mercado de trabalho

Para a BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, equidade de gênero é fundamental para promover a diversidade e a inclusão de cada vez mais mulheres no mercado de trabalho e no ambiente de negócios. Ano passado, a Companhia assumiu o compromisso público “Equidade é Prioridade”, do Pacto Global da ONU, de ter 30% de mulheres em posições de alta liderança até 2025. E está perto de atingir esse percentual. Comparada a 2018, a presença de mulheres em cargos executivos na BRF saltou de 15% para 24%, conforme dados de dezembro de 2021.   

“Como uma empresa global, a BRF entende a prioridade da pauta para a promoção da igualdade de oportunidades e temos consciência do nosso papel como agente transformador para mudanças positivas, principalmente em nosso setor. Por isso, o tema faz parte da essência da nossa cultura”, afirma Alessandro Bonorino, vice-presidente global de Gente, Gestão e Transformação Digital na BRF.    

A fim de atingir os objetivos deste compromisso, a Companhia vem implementando diversas ações globais, como o “Lidere como uma Mulher’, uma jornada de aceleração de carreira. A inciativa consiste em encontros com especialistas do mercado que trazem temas relacionados à equidade de gênero, treinamentos técnicos e de habilidades (soft skills), assessments e mentoria.     

“Uma jornada importante para alavancar a minha carreira e autoconhecimento, permitindo entender que além de mãe, esposa e dona de casa, podemos ser líderes. Ela gera trocas e uma satisfação porque estamos, juntas, crescendo por competência, sem perder o brilho em ser uma mulher”, disse Pauline Bellaver, gerente de meio ambiente.    

A BRF também criou o “Elas em Foco”, um programa que tem como objetivo empoderar, desenvolver, dar voz e visibilidade às mulheres na organização. Em programas de entrada em 2021, no Brasil, as mulheres representaram 55% de Trainees e 40% de Supervisores Acelera.  

Para Railda Masson, supervisora de produção na BRF, os programas voltados à equidade e ao empoderamento feminino na Companhia são fundamentais para fomentar reflexões, interações e desbloqueios. “É preciso trabalhar sentimentos e autoconhecimento para que nos libertemos dos modelos e concepções estabelecidos. Assim, entenderemos que somos capazes e competentes, tanto quanto os homens”.  

Exemplos de liderança

Em Videira (SC), por exemplo, a gerência industrial está nas mãos de Lucineia Antunes Valtte Leidens desde o final de 2020. Na mesma unidade, Ana Paula Viergutz Volff, que está na BRF desde 2003, passou por diversas funções operacionais e administrativas, foi líder dos setores de apontamentos e de célula de entrada e saída, supervisora de produção e, desde março de 2021, é coordenadora da Controladoria da unidade.

“Apaixonada por recrutamentos internos e desafios, hoje estou realizada profissionalmente e agradeço todas as oportunidades oferecidas pela BRF. Tenho orgulho dessa história construída, porque tive muitas conquistas profissionais e particulares”, ressalta Ana Paula.

Já Maria Goretti Buzanello foi a primeira mulher a ocupar o cargo de gerente de agropecuária da Companhia. Atualmente em Lajeado, no Rio Grande do Sul, foi pioneira na função em 2015, quando atuava em Chapecó. Com longa trajetória na Companhia, em 1993 também foi pioneira a ocupar o cargo de supervisora de uma fábrica.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados