Coca-Cola Brasil e ANCAT fecham acordo para colocar catadores no centro da economia circular

Acordo inédito prevê ações objetivas para o aumento da participação da categoria na coleta seletiva e reciclagem de embalagens nos estados e municípios brasileiro

*Na foto, Roberto Rocha da Ancat e Victor Bicca da Coca-Cola

Um passo importante foi dado rumo à efetividade da economia circular no Brasil, junto com a participação dos catadores de materiais recicláveis. Este é o objetivo principal do termo de cooperação assinado entre a Coca Cola Brasil e a ANCAT – Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis – nesta quarta-feira (23), em evento realizado em Brasília.

Um dos principais tópicos do acordo, assinado por Victor Bicca, diretor de relações governamentais da Coca-Cola Brasil, e por Roberto Rocha, catador e presidente da ANCAT, prevê o aumento do volume de embalagens recicladas pelas cooperativas e associações. Entre as estratégias para alcançar esse objetivo, estão parcerias como a que será feita com o Sustenta PET e a Solar Coca-Cola.

“As primeiras cooperativas do país foram apoiadas pela Coca-Cola, no começo dos anos 90. E desde lá temos uma grande parceria com a ANCAT e com o Movimento Nacional dos Catadores de Recicláveis (MNCR)”, relembrou Bicca, diretor da empresa. “A nossa ideia é reforçar e revigorar esta parceria e, principalmente, fortalecer a participação dos catadores na gestão dos resíduos do Brasil”. explicou.

Outro ponto central no termo de cooperação é o desenvolvimento, em articulação com o governo federal, de um modelo de rastreabilidade de embalagens que favoreça a participação das organizações de catadores. Com isso, haverá o aperfeiçoamento dos processos de trabalho e a melhorados rendimentos da categoria.

“Este acordo coloca os catadores no centro da discussão sobre o mercado de materiais recicláveis, dentro da economia circular, que é uma área importante e fundamental”, explicou Rocha. “Assim poderemos avançar na profissionalização e na participação efetiva da categoria na cadeia de reciclagem em todo o Brasil”, disse o presidente da ANCAT.

Referência internacional

O Brasil é referência internacional na organização dos catadores e no alto resultado de reciclagem. É o campeão no reaproveitamento de latinhas, com o índice de 98%. A Coca-Cola vem introduzindo no mercado cada vez mais embalagens recicláveis.

“O trabalho dos catadores é fundamental nesse processo e merece ser mais reconhecido”, destacou Bicca, que também é presidente da ABIR – Associação Brasileira da Indústria de Refrigerantes e Bebidas não Alcoólicas.

A meta da empresa é alcançar 100 % de embalagens recicladas até 2030. As garrafinhas da água Crystal, por exemplo, estão sendo fabricadas com uma resina totalmente reciclável.

Empreendedorismo

“O catador é um empreendedor. Nós que alimentamos essa cadeia produtiva. É um trabalho que precisa ser valorizado e profissionalizado”, apontou Roberto Rocha. Estima-se que existam 800 mil catadores no país.

“Essa parcerias, neste contexto de responsabilidade compartilhada, incentivam a inclusão socioprodutiva”, reforçou Aline Souza, presidente do Sindicato dos Catadores no DF.

O acordo também inclui o desenvolvimento de parcerias com Estados e Municípios para a participação de cooperativas e catadores avulsos em programas de coleta seletiva. Assim como o fortalecimento da educação ambiental nas cidades.  O termo de cooperação também propõe a melhoria contínua do design de embalagens, diminuindo o uso energia e matéria-prima. A meta da Coca-Cola é a redução gradativa de embalagens com baixo índice de reciclagem, até a sua substituição por completo.

Participaram da cerimônia de assinatura representantes da FEMSA, Ambev, AFBCC – Associação dos Fabricantes Brasileiros de Coca Cola, ABIR – Associação Brasileira das Indústrias de Refrigerantes e de Bebidas não Alcoólicas, AV Ambiental e ABRALATAS – Associação Brasileira de Produtores de lata de alumínio para bebidas.

Fonte: Ancat e Samanta Sallum, Correio Braziliense

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados