Consumidor brasileiro está mais ligado à sustentabilidade dos alimentos

Estudo global da Cargill aponta aumento da busca por origem e práticas corretas dos produtores na hora das compras

A relevância e a preocupação com sustentabilidade agora influenciam a maioria das compras em supermercados ao redor do mundo, incluindo alimentos embalados como batatas fritas e biscoitos, de acordo com a nova edição da pesquisa global FATitudes, da Cargill. O levantamento da empresa identificou que 55% dos consumidores estão mais propensos a comprar um alimento embalado se identificaram uma ação de sustentabilidade, o que representa um salto de quatro pontos desde a última edição dessa pesquisa, realizada em 2019.

A FATitudes da Cargill tem sido fundamental para mapear mudanças no comportamento do consumidor ao redor do mundo. Entre as perguntas, estão questões sobre conscientização e tomada de decisão em relação às gorduras e óleos encontrados nos alimentos embalados. A nova pesquisa global, realizada em 2021, incluiu cerca de 6.000 compradores de supermercados brasileiros e em outros 10 países (Alemanha, Austrália, China, Estados Unidos, Filipinas, França, Índia, México, Reino Unido e Rússia).

“Era esperada uma mudança de comportamento do consumidor, inclusive por conta da pandemia e outros fatores que têm influenciado a tomada de decisão. Foi importante constatar que a sustentabilidade tem um grande peso para o brasileiro”, analisa Augusto Lemos, diretor geral da Cargill Foods para América do Sul. Houve crescimento de 13 pontos percentuais entre os brasileiros pesquisados que apontam a sustentabilidade como fator importante na hora da compra, se comparadas as pesquisas de 2019 e 2021. No Brasil, hoje esse número é de 74% dos entrevistados.

Pela primeira vez, a pesquisa também perguntou aos consumidores que tipo de ação sustentável eles valorizam nos fornecedores dos produtos disponíveis nas gôndolas. “Origem sustentável” e “conservação de recursos naturais” encabeçaram a lista, ficando bem à frente de reivindicações mais específicas, como “comércio justo”, “embalagens reduzidas” e “salários justos/decentes” na maioria dos países incluídos na pesquisa.

“Esses insights confirmam ainda mais nosso compromisso de incorporar práticas sustentáveis ​​em todos os aspectos de nossas operações”, disse Florian Schattenmann, diretor de tecnologia e vice-presidente de inovação e P&D da Cargill. “Isso inclui tudo, desde práticas de fornecimento até instalações de processamento e se estende ao desenvolvimento de novos produtos.”

Para alcançar um fornecimento ainda mais confiável de óleo de palma com origem sustentável, a Cargill está investindo em uma nova refinaria de óleo de palma na Indonésia e atualizando as capacidades de suas instalações de gorduras especiais em todo o mundo. Quando concluídas, as novas e ampliadas instalações ajudarão a Cargill a atender às crescentes expectativas em torno da sustentabilidade, conforme destacado na atual pesquisa global de consumidores da FATitudes.

Juntamente com esses esforços, a empresa também está ajudando os fabricantes de alimentos a atender ao crescente interesse pela saúde do consumidor. Em dezembro de 2021, a Cargill tornou-se o primeiro fornecedor de óleos comestíveis a se comprometer a remover os ácidos graxos trans (ITFAs) produzidos industrialmente de todo o seu portfólio global de óleos comestíveis, de acordo com as melhores práticas da Organização Mundial da Saúde.

Nesta rodada de pesquisa mais recente, o aumento do interesse pela sustentabilidade foi a mudança mais notável em relação aos resultados da pesquisa anterior. Na Índia, por exemplo, houve aumento de dois dígitos, com 67% dos consumidores indicando que eram mais propensos a comprar alimentos embalados que destacam ações de sustentabilidade, um aumento de 11 pontos percentuais em relação a 2019. No Reino Unido, a Cargill descobriu que 51% dos consumidores agora dizem que dão mais ênfase à sustentabilidade, um salto de 8 pontos percentuais em apenas dois anos. E nos Estados Unidos, os consumidores também estavam mais atentos às alegações de sustentabilidade: 37% deram a mesma resposta, um aumento de 6 pontos em relação aos resultados de 2019.

A Cargill já fornece soluções sustentáveis ​​para atender às necessidades de consumidores e clientes de óleos, desde programas de agricultura regenerativa para oleaginosas em linha, até óleo de palma certificado de origem responsável pela Roundtable on Sustainable Palm Oil (RSPO). No próximo ano, a empresa deve expandir o portfólio norte-americano de óleo de palma segregado por RSPO para incluir produtos de estearina de palma e oleína de palma, posicionando a Cargill para oferecer suporte aos clientes com um portfólio completo de produtos sustentáveis ​​de origem de palma. Os produtos de palma segregados pela RSPO também estão disponíveis na Europa, Rússia, Austrália/Nova Zelândia e Malásia.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados