Dar sentido à experiência de compra

Quando um cliente vai a um supermercado ele passa por inúmeras experiências de compras. Pode se sentir aborrecido, surpreso, satisfeito, infeliz, enganado, importante, só mais um cliente, etc.

Como criar diferenciais e tornar essas experiências sempre positivas?
A chave é dar sentido a elas. “É tocar uma “música” que chegue aos sentidos dos consumidores e funcionários, tornando a loja única” e a preferida do público.

A experiência de compras deve refletir emocionalmente o sentido e a proposta que a loja oferece, além das costumeiras razões racionais como ofertas, linha de produtos, localização, etc.

Ambiente, iluminação, estilo, serviço, política de relacionamento, entre outros, é o caminho, mas você é quem decide qual o sentido, qual o significado ou as vivências que quer oferecer.

Você é quem decide o que eles devem sentir ao estar na sua loja.
E para tal deve desenvolver todos os meios para atingir seu objetivo.

Não seja mais um supermercado. Tenha nome e sobrenome e uma personalidade perceptível a todos.

* Antonio Carlos Ascar é estudioso das tendências mundiais do varejo de autosserviço. Graduado e pós-graduado em Administração de Empresas pela FGV (SP),  e  especialização em Empreendedorismo pela Babson College de Boston (EUA). É autor do livro Glossário Ascar de Termos Supermercadistas e do livro Distribuindo as Camisas. Por 31 anos foi diretor-executivo do Grupo Pão de Açúcar, implantou diversos formatos de loja como: Extra, Minibox, Superbox, Peg Faça, Express, entre outros. Atualmente é consultor e sócio diretor da Ascar & Associados, empresa de consultoria que atua na prestação de serviços a redes supermercadistas. Ascar é também consultor de varejo da Abras e articulista da revista SuperHiper, publicação Abras. www.ascarassociados.com.br

Clique aqui e confira o dicionário do setor.

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados