Frubana, a “Amazon dos alimentos”, capta U$ 65 milhões

Há 8 meses no Brasil, a startup colombiana cresceu 7 vezes durante a pandemia, conectando produtores de hortifrutis à supermercados de bairro e restaurantes

A startup colombiana Frubana conecta produtores agrícolas e fornecedores de alimentos a restaurantes e mercados de bairro. Com o aporte liderado pelo GGV Capital, com a participação de fundos como Softbank e Tiger Global, a Frubana planeja reforçar sua presença no Brasil com a injeção de U$ 65 milhões. Em oito meses, a Frubana cresceu sete vezes em pleno período de distanciamento social e restrições sanitárias.

Em 2020, as startups latino-americanas atraíram US$ 4 bilhões em um volume recorde de 488 aportes, segundo a Associação Latino-Americana de Private Equity & Venture Capital (Lavca). E, na primeira metade de 2021, os investidores seguem ampliando seu apetite pelas novatas da região.

O mais novo nome nesse cardápio é a colombiana Frubana, mescla de marketplace e “atacado virtual” que conecta restaurantes e supermercados de bairro a fornecedores e produtores de frutas, verduras e legumes, entre outros alimentos.

A startup anunciou a captação de um investimento de US$ 65 milhões (R$ 351 milhões). A rodada é liderada pelo americano GGV Capital e tem a participação de Softbank, Tiger Global e Monashees. Todos já investiam na operação e ganham agora a companhia do também americano Lightspeed Venture Partners.

“É raro todos os investidores dobrarem a aposta”, diz Breno Lopes, country manager da Frubana no Brasil, em entrevista ao NeoFeed. “Mas foi uma necessidade básica. Nós crescemos sete vezes durante a pandemia e precisávamos de mais recursos para seguir financiando essa expansão.”

O Brasil é o ponto mais recente no mapa da Frubana. A startup desembarcou em São Paulo em outubro de 2020 e, em poucos meses, a operação já superou os números do México, tornando-se o segundo maior mercado da companhia, atrás apenas da matriz colombiana.

Com esse status, o País receberá boa parte dos dígitos incluídos no novo cheque. Um dos planos é triplicar o quadro local de funcionários, composto atualmente por cerca de 300 profissionais, no prazo de seis a 12 meses.

A Frubana também avalia levar sua plataforma para outros cidades além da capital paulista. A princípio, a expansão deve seguir por municípios da Grande São Paulo, ainda em 2021. Não estão descartadas as incursões em outras capitais do País.

Outro investimento nesse pacote envolve os centros de distribuição. Atualmente, a companhia opera com três unidades em São Paulo e já prevê uma quarta estrutura, cuja localização será escolhida a partir da definição do roteiro de expansão a ser seguido no País.

Fonte: NEOFEED

Posts Relacionados

Fique por dentro de nossas novidades