Índice de Consumo da ABRAS registra alta no primeiro trimestre

Impacto da pandemia na dinâmica de consumo dos lares influenciou o desempenho do índice

O Índice Nacional de Consumo ABRAS nos Lares Brasileiros (INC), divulgado pela entidade nesta quinta-feira (13), registrou 7,06% de crescimento real (deflacionado pelo IPCA-IBGE) no primeiro trimestre, na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com o Departamento de Economia e Pesquisa da entidade nacional de supermercados.

No mês de março, o INC apresentou alta real de 11,11% em relação a fevereiro. Na comparação com março de 2020 o crescimento registrado foi de 4,31%. 

“O resultado deste primeiro trimestre reflete o cenário pandêmico, com maior consumo dentro dos lares devido ao avanço da pandemia, com novas restrições de funcionamento de diversos estabelecimentos comerciais e maior isolamento social. O crescimento de março em relação ao mês de fevereiro foi impactado pelo efeito calendário, com três dias a mais de consumo”, declara o vice-presidente Institucional de Administrativo da ABRAS, Marcio Milan.

Abrasmercado

Em março, o indicador Abrasmercado, cesta dos 35 produtos de largo consumo nos supermercados, apurado em parceria com a GfK, registrou alta de 0,70% na comparação com fevereiro, passando de R$ 633,38 para R$ 637,82.  No acumulado dos 12 meses, o valor da cesta subiu 22,75%.

As maiores quedas nos preços da cesta de março foram registradas nos produtos: batata (- 11,75%); tomate (- 11,36%); queijo muçarela (-3,23%); queijo prato (-2,26%). As maiores altas foram nos itens: ovo (6,64%); arroz (4,30%); carne dianteiro (3,25%); feijão e farinha de mandioca (2,60%).

Regiões

As regiões Sudeste e Centro-Oeste foram as únicas que registraram queda no valor da cesta Abrasmercado, -1% e -0,13%, respectivamente. A cesta do Sudeste passou de R$ 614,72 para R$ 608,55 e a do Centro-Oeste de R$ 597,75 para R$ 596,98.  

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados