Nestlé se prepara para entrar no mercado de carne cultivada em laboratório

A gigante suíça trabalha com produtos alternativos de carne cultivada combinados com ingredientes vegetais e desenvolvidos pela startup israelense Future Meat Techonologies

A Nestlé está planejando entrar no ramo de carne cultivada em um movimento que pode levar a maior empresa de alimentos do mundo a ajudar a entregar a tecnologia nascente mais rapidamente para o mercado.

A gigante suíça tem trabalhado em produtos alternativos de carne que combinariam carne cultivada com ingredientes vegetais, de acordo com pessoas familiarizadas com as deliberações, que pediram para não serem identificadas porque a informação não foi divulgada. A carne está sendo desenvolvida com a startup israelense Future Meat Technologies, disseram as pessoas.

O CEO da Nestlé, Mark Schneider, está avançando na estratégia de proteína alternativa, uma vez que as preocupações ambientais e de saúde levam mais consumidores a optar por não comprar os produtos animais convencionais. O movimento inicial, após uma decisão relativamente tardia de entrar na onda de produtos à base de plantas, ajudaria a Nestlé a ganhar posição em uma indústria que pode chegar a 35% do mercado de carne de US$ 1,8 trilhão até 2040, de acordo com analistas da consultoria Kearney.

Um porta-voz da Nestlé não pôde comentar imediatamente, enquanto um representante da Future Meat Technologies não respondeu a um e-mail pedindo comentários.

O momento de uma entrada potencial no mercado também seria determinado por aprovações regulatórias, disseram as pessoas.

A Future Meat Technologies está preparada para trazer sua tecnologia baseada em células, enquanto a Nestlé tem experiência no desenvolvimento de produtos vegetais sob sua marca Garden Gourmet. O produto híbrido, que mistura células de carne desenvolvidas em biorreatores com ingredientes vegetais, pode ser uma porta de entrada para a Nestlé ingressar com mais rapidez no mercado de carne cultivada.

As startups de carne com base em células incorporam ingredientes à base de plantas em vários estágios de desenvolvimento do produto. Isso permite que eles melhorem a textura dos produtos e reduzam custos, um grande desafio para startups que desejam substituir a carne convencional.

A Future Meat Technologies já obteve sucesso na redução de custos. A empresa conseguiu produzir frango a US$ 4 por 100 gramas e planeja reduzir esse valor pela metade até o final de 2022, disse à Bloomberg o CEO, Rom Kshuk, em entrevista no mês passado. A empresa quer começar as vendas nos Estados Unidos até o final do ano que vem, enquanto são aguardadas as aprovações regulatórias.

Vários gigantes da alimentação e da carne apoiaram startups de carne cultivada nos últimos anos, em reconhecimento ao potencial da tecnologia. Tyson Foods e a Cargill têm investido, enquanto BRF e Mitsubishi Corp. estão trabalhando com Aleph Farms. A última rodada de financiamento da Aleph Farms também obteve apoio da Thai Union Group e CJ CheilJedang, da Coreia do Sul. A Nestlé provavelmente seria a maior a explorar carnes cultivadas, dando um impulso ao setor.

Fonte: Bloomberg

Posts Relacionados

Fique por dentro de nossas novidades