Instituto BRF fomenta startups contra desperdício de alimentos

De acordo com a ONU, cerca de um terço do alimento no mundo é desperdiçado e 14% é perdido antes mesmo de chegar ao comércio.

Ao longo dos próximos quatro meses, oito startups de impacto socioambiental passarão por uma capacitação promovida pelo Quintessa, aceleradora de impacto que é referência em inovação para grandes empresas, dentro do programa Ecco Comunidades, do Instituto BRF, que tem como objetivo apoiar soluções para a redução de perdas e desperdícios de alimentos.

Além de combater o desperdício, o programa tem como objetivo promover o desenvolvimento territorial a partir da implementação das soluções em cinco municípios onde a empresa está presente: Dourados (MS), Lucas do Rio Verde (MT), Nova Mutum (MT), Rio Verde (GO) e Uberlândia (MG).

As startups, que estão em estágio operacional e com soluções prontas para implementação ou que sejam facilmente adaptadas, foram selecionadas em um processo que começou em agosto deste ano e que também contou com apoio do Instituto Prosas, uma plataforma de seleção e monitoramento de projetos sociais, que conecta patrocinadores, empreendedores sociais e cidadãos.

A seleção durou dois meses e a última etapa foi o Pitch Day, onde os empreendedores apresentaram suas soluções para a redução da perda e desperdício de alimentos.

O programa de aceleração das oito selecionadas contará com workshops em grupo, apoio individualizado de um gestor do Quintessa e de executivos da BRF para que os empreendedores possam atuar nos desafios estratégicos de cada negócio.

Ao final do período, as empresas estarão elegíveis para a segunda fase do programa, quando poderão implementar suas soluções nos territórios de atuação da BRF.

As startups terão o apoio do Quintessa para a implementação dos pilotos e receberão um valor de até 90.000 reais para a implementação, que contará com apoio de organizações locais, trazendo legitimidade e articulação local.

Para Anna de Souza Aranha, diretora do Quintessa, a iniciativa mostra o potencial de aplicação da inovação na geração de impacto positivo.

“Reunimos diversos atores para lidar com esta temática complexa que é o desperdício de alimentos. Durante a seleção identificamos diversas startups de impacto com alto potencial, e as oito selecionadas revelam a qualidade das soluções”, declara a diretora.

Desperdício de alimentos

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), cerca de um terço do alimento no mundo é desperdiçado e 14% é perdido antes mesmo de chegar ao comércio.

“Com o Ecco Comunidades, queremos promover impacto social positivo por meio da inovação, ampliando nossos esforços para combater o desperdício de alimentos e promover segurança alimentar em parceria com a sociedade civil. O programa faz parte de uma série de ações do Instituto BRF e da empresa que tiveram início com a plataforma que batizou a iniciativa, o Ecco — Especialista de Consumo Consciente que educa e sensibiliza para esse desafio global”, diz Bárbara Azevedo, gerente do Instituto BRF.

Conheça as oito startups selecionadas e os segmentos de atuação.

Capacitação de pequenos produtores

Já Entendi — Promete transformar qualquer tipo de conteúdo de treinamento, como apostilas e manuais, em videoaulas que facilitam a assimilação do conteúdo, especialmente para pessoas com baixa escolaridade. Se adapta à realidade do conteúdo para entregar o melhor material, de mais fácil compreensão, e pode ajudar os pequenos produtores com orientações padronizadas das melhores práticas para evitar o desperdício de alimentos.

ManejeBem — Oferece um ambiente digital em formato de rede social, com plantão agronômico gratuito para assistência técnica agrícola e acompanhamento de indicadores sócio-agroambientais de comunidades rurais.

Sumá — Conecta agricultores familiares a compradores de alimentos, atuando na capacitação do agricultor para que possa atender às exigências dos compradores regulares e acompanhar os planos de produção locais e a sazonalidade dos produtos.

Soluções para a redução do desperdício em comércios

Connecting Food — Gerencia o relacionamento entre quem desperdiçaria e quem necessita dos alimentos, atuando na redistribuição de alimentos de estabelecimentos que não teriam valor comercial e os conectando a instituições sociais.

Whywaste — Promete reduzir até 60% das perdas por vencimento de estabelecimentos comerciais através de soluções orientadas por dados, a partir da análise de vários casos e melhores práticas em diferentes tipos de estabelecimento.

Geração de renda a partir do aproveitamento de alimentos

Eats For You — O modelo de negócios conecta pessoas que gostam de cozinhar a possíveis clientes que valorizem a comida feita em casa, mais saudável e gostosa, gerando renda formal para donas(os) de casa, transformando cozinheiros amadores em empreendedores para inclusão produtiva e oferecendo comida de verdade.

Gastronomia Periférica — negócio social que combina desenvolvimento técnico e humano para a área da gastronomia, conscientizando sobre o aproveitamento total dos alimentos e abrindo possibilidades de empreender e ser protagonista no mercado por meio de iniciativas e uma plataforma de educação.

Gestão da alimentação escolar

Lemobs — A startup ficou conhecida pelo app Minha Saúde, que permite que a pessoa gerencie seus indicadores de saúde e tenha acesso a médicos de sua cidade. Mas, foi selecionada para o programa de aceleração por ter criado um software que permite a gestão da alimentação escolar de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e que inclui a gestão de cardápios e fichas de preparo, gerenciamento do estoque, controle e aprovação de pedidos, testes de aceitabilidade e qualidade dos alimentos, e ferramenta para acompanhamento nutricional dos alunos.

Fonte: Bússola, Exame

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados