Shopper cria hábito de adiantar compras em datas festivas

Estudo da GS Ciência do Consumo analisou mais de 40 milhões de transações de vendas ao longo de dezembro

Pesquisa da GS Ciência do Consumo, referente ao varejo, aponta que o segundo semestre de 2021 apresentou um sobressalto da inflação resultando no aumento generalizado dos preços médios contínuos, impactando diretamente na quantidade de itens no carrinho dos consumidores, apesar de agregar valor ao ticket e gasto médio. Pelo mesmo motivo, o Natal também apresentou crescimento no ticket médio e faturamento positivo na quinzena. A data natalina confirmou a tendência à antecipação de compras no comportamento do shopper no período pós pandêmico.

Dezembro de 2021 

Em dezembro de 2021, esse impacto refletiu inclusive no panetone, um dos produtos típicos do mês, que em comparação com os dados do mesmo período do ano passado, sofreu um aumento no preço e apresentou queda no ranking que avalia a participação de produtos nos carrinhos dos consumidores. No mês, os itens ovos, café e açúcar refinado, continuaram mostrando aumentos no preço médio, enquanto os frios, leite, leite condensado, creme de leite e feijão apresentaram queda.

Ainda comparando o último mês do ano passado ao mesmo período de 2020, observou-se o aumento do faturamento de 2,65%, considerando supermercados, hipermercados e cash & carry. Houve o acréscimo de 3% no faturamento de clientes fidelizados e 2,01% para clientes não fidelizados. Porém, o ticket médio geral do período apresentou queda de 0,86%. Neste caso, os clientes fidelizados apresentaram ticket médio positivo de 1,28% e o grupo de clientes não fidelizados mostrou o índice negativo de 3,46%. Já a frequência manteve-se em crescimento desde julho de 2021, indicando o retorno gradual dos shoppers às compras presenciais por conta da vacina.

Na comparação mês a mês, como esperado, dezembro foi superior a novembro em todos os indicadores devido a data sazonal do Natal. Apesar do ticket e gasto médio positivo, destaca-se a sensível queda no indicador de quantidade de itens no carrinho, como esperado após o período pandêmico, no qual as pessoas diminuíram a frequência comprando mais itens em menos compras.

Considerando os canais separadamente, o super e hiper apresentaram, no mês, um aumento no faturamento, de 3,46% e 5,53% respectivamente, comparando os dados aos de dezembro de 2020. O crescimento também ocorreu com a quantidade de tickets e clientes. Porém, dezembro de 2021 apresentou o mesmo comportamento visto no ano, onde os preços dos produtos alavancados pela inflação, impactam na diminuição da quantidade de itens nos carrinhos dos shoppers.

O Super apresentou-se como o único canal com aumento do ticket médio (2,23%) em decorrência do crescimento da quantidade de clientes (1,37%) e do aumento do preço médio (8,6%). O Cash segue apresentando baixos indicadores no período em análise, sensível ao retorno após ter apresentado alto desempenho como canal de preferência de compras de abastecimento durante o ano de 2020 por conta da ocasião de pandemia por Covid-19.

Edição contou com a avaliação de 38 milhões de transações de vendas.

Natal

As antecipações de compras em datas sazonais que ocorreram no ano de 2021 apontam shoppers precavidos no que diz respeito a aglomerações.

O faturamento moderado na quinzena marcou o comportamento de antecipação das compras de Natal. Na quinzena, o indicador aumentou 0,19% e na véspera, o indicador caiu 0,41%. O crescimento do ticket médio, impulsionado diretamente pelos clientes fidelizados, foi o principal fator de contribuição para o aumento do faturamento. Com quedas na quantidade de tickets e carrinhos menores, o preço médio dos itens é o principal responsável por elevar os indicadores.

Com relação a cesta de Natal, o aumento do ticket médio, influenciado pelo aumento dos preços devido ao movimento inflacionário, não foi suficiente para contribuir com o aumento do faturamento. Destacou-se não só as compras antecipadas, mas também ceia ou mesa natalina reduzidas e preferência por itens mais baratos.

Considerando as categorias para ceia e pratos típicos da cesta de Natal, carnes especiais e as frutas obtiveram crescimento na quantidade resultado do decréscimo do preço médio, sendo o pernil e o pêssego os principais itens responsáveis. Descartáveis, Lasanha/Maionese e Lentilha/Romã apesar de serem consumidas em menores quantidades, conseguiram impacto positivo no faturamento devido ao aumento do preço médio.

Já em relação a cesta composta por produtos presenteáveis e de acompanhamento da ceia, destacaram-se, o Gin e Energético, que obtiveram aumento de faturamento e quantidade de itens vendidos, além de queda no preço médio, indicando resultados positivos em estratégias de descontos no período para estes itens. Outras bebidas também tiveram bastante destaque na cesta, como Licor, Espumante e Vodka, com acréscimo no faturamento. O Chocotone também apresentou desempenho positivo na categoria “Panetone/Chocotone” e os Kits Bebidas foram a principal opção de presente.

Para esse estudo foram analisadas 11 milhões de transações de vendas.

Veja o Paper com indicadores de Dezembro e do Natal na íntegra.

888888888888888

Compartilhe esta noticia!

Posts Relacionados